O dia em que o forró da Bahia foi parar na terra de Frank Sinatra

entretenimento
13.02.2021, 06:00:00
Atualizado: 13.02.2021, 09:17:26
(Foto: Reprodução)

O dia em que o forró da Bahia foi parar na terra de Frank Sinatra

Cantor Del Feliz, que ama 'New York', explica como foi parar lá

Francis Albert Sinatra, mais conhecido como Frank Sinatra, foi um dos maiores ícones da música no mundo. Nascido em Hoboken em New Jersey, em 12 de dezembro de 1915, morreu em 14 de maio de 1988. Além de cantor, foi ator e produtor. Del Feliz é um cantor, compositor e apresentador natural de Barreiros, localidade de Riachão do Jacuípe, no sertão da Bahia. Conhecido como o “embaixador do forró”, ele investe no chamado forró pé-de-serra.

Você que está lendo esse texto deve estar perguntando: o que uma coisa tem a ver com a outra? O que liga um forrozeiro do Brasil, do Nordeste e da Bahia, àquele que é considerado o maior cantor americano de todos os tempos e querido nos quatro cantos do mundo, inclusive no Brasil, onde ele teve o seu maior público como artista no Maracanãzinho?

O forrozeiro Del Feliz em Hoboken, New Jersey (Acervo pessoal)

Quem responde é o próprio Del Feliz: “A gravação do clipe em Hoboken foi decidida exatamente pelo fato de lá ser a terra natal de Frank Sinatra. Essa foi a ideia, mostrar um pouco do que o inspirou fazer um dos maiores clássicos da música internacional. Eu amo New York, New York, canto nos meus shows e sou fã do Sinatra. Além da energia e belezas locais, pra quem está em diversos pontos de Hoboken, a vista para Manhattan é fenomenal. Sugiro a quem visita New York, se ainda não o fez, atravessar o rio e visitar Hoboken. Dá pra ir de metrô. Foi meu primeiro clipe gravado fora do Brasil. Música Abra aí, de Luiz Caldas”.

Convidado para fazer a cobertura da realização desse clipe, que também teve cenas em new York, eu só fui saber que iriamos fazer gravações em Hoboken conhecido como o lugar onde nasceu Frank Sinatra, assim que chegamos aos EUA. Foi o próprio Del Feliz que fez questão de detalhar mais a ideia revelando ser um conhecedor da obra de Frank Sinatra. O que me surpreendeu a princípio, por só ter conhecido até então esse lado forrozeiro de Del.

Instalados em New York programamos a viagem para o dia seguinte junto com a equipe do diretor Yves Goulart (brasileiro que mora nos EUA há muitos anos) e gosta da cultura baiana. É figura carimbada na Lavagem de New York, organizada por outra baiana, Silvana Magda. Ives foi também uma espécie anfitrião nos apresentando a tão icônica Hoboken. Ao final era notória a satisfação de Del em realizar um sonho. Dai voltamos todos para New York onde Del também participou da Lavagem ao lado de Adelmário Coelho que gravou um clip em NYC, a cidade que nunca dorme.

Além da realização desse clipe de valor emotivo, Del Feliz com seu projeto "Forró Del Mundo"[ leva o ritmo nordestino nos quatro cantos do planeta. Ele já fez show em dezenas de países, dentre eles: EUA, Bélgica, China, Noruega, México, Japão, Turquia[, Inglaterra e França[. Também de  apresentou em importantes casas de show internacionais (a exemplo de Le Poisson Rouge, BB King Blues em New York, Cabaret Sauvage, Barrio Latino e La Belle Villoise em Paris, Guanabara em Londres), e em grandes eventos (como Bazilian Day em New York[, onde fez homenagem em 2012 a Luiz Gonzaga; Semana do Brasil em NY; Lavage De La Madeleine em Paris; Forró London em Londres; e o Festival Ai Que Bom em Bruxelas e Paris. Del Feliz compôs também O Hino do São João da Bahia[, gravado por cerca de 40 cantores, principais representantes nos festejos juninos da Bahia.

Assim como todos os artistas que estão impossibilitados de trabalhar por causa do Covid 19, Del Feliz está produzindo bastante e promete muitas novidades quando for possível voltar à atividade normal. Mas sempre deixando claro que tudo gira em torno do forró. Que ele conhece muito.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas