O Outro Lado do Paraíso: Fabiana será presa nos últimos capítulos

entretenimento
15.04.2018, 23:00:00
Atualizado: 16.04.2018, 08:51:05
(Reprodução/TV Globo)

O Outro Lado do Paraíso: Fabiana será presa nos últimos capítulos

'Tá presa como cúmplice de sequestro!', anunciará o delegado; audiência da novela se aproxima de Avenida Brasil

O final de Fabiana (Fernanda Rodrigues) será dando chilique atrás das grades. A personagem será presa como cúmplice no sequestro de Tomaz (Vitor Figueiredo) nos últimos capítulos de O Outro Lado do Paraíso, novela da TV Globo. A informação é da colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo.

Bruno (Caio Paduan) dará voz de prisão à vilã logo depois que o garoto for resgatado. Durante a ação, Renato (Rafael Cardoso) acabará morrendo.

- Tá presa como cúmplice de sequestro! - anunciará o delegado.
- Sou Fabiana de Sá Junqueira. Não posso ser presa!
- Para o camburão.

 Em seguida, a vilã aparecerá chegando à penitenciária na viatura policial:
- Que lugar é esse? Vocês estão errados. Não sabem quem eu sou. Não sou do tipo de pessoa que é presa.

Depois, ela será colocada numa cela. Sob os olhares das outras presas, Fabiana gritará revoltada:
- Eu não posso ser presa. Sou Fabiana de Sá Junqueira. Sou da alta sociedade. Me tirem daqui. Me tirem daqui!

Sucesso -  O Outro Lado do Paraíso, de Walcyr Carrasco, tem conseguido bons números de audiência. Na Grande São Paulo, por exemplo, a novela tem batido os 40 pontos de média no Ibope, o mesmo ín­dice marcado por Avenida Brasil, de 2012, maior sucesso da Globo nos últimos anos.

Cada ponto equivale a 72 mil domicílios. A novela já ultrapassou, inclusive, A Força do Querer, de Gloria Perez, que, com 36 pontos, teve também bom retorno. Além das viradas que mar­cam a história, os atores de O Outro Lado do Paraíso credi­tam os bons números a outras sacadas do autor Walcyr Carrasco.

"Ele está mostrando, de forma bastante versátil, questões atuais, como o racismo, a violência doméstica e o respeito às diferenças", diz Ma­rieta Severo, que interpreta Sophia. A juíza negra Raquel (Erika Januza) e a anã Estela (Juliana Caldas) foram duas que sofreram com a discriminação. E a mocinha Clara (Bianca Bin) foi agredida diversas vezes pelo marido.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas