Paris-2024 terá surfe no Taiti e competições em pontos turísticos

esportes
10.08.2021, 10:00:00
Paris receberá a próxima edição da Olimpíada, em 2024 (Divulgação)

Paris-2024 terá surfe no Taiti e competições em pontos turísticos

Próxima edição da Olimpíada ainda marcará a estreia do breakdance e promete igualdade de gênero; veja novidades

Baianos brilhando, Brasil faturando três ouros em um mesmo dia, recorde de medalhas conquistadas... A Olimpíada que mal acabou deixou saudade. Mas, com o fim dos Jogos de Tóquio, começa também a contagem regressiva para a próxima edição, em Paris. Dessa vez, a espera será menor: três anos separam os dois eventos. Precisamente, hoje faltam 1081 dias.

Apesar da cerimônia de abertura - marcada para o dia 26 de julho de 2024 - ainda estar um pouco distante, algumas decisões já foram tomadas, como a estreia do breakdance, a disputa do surfe no Taiti e provas em cartões-postais da capital francesa.

Vôlei de praia será disputado de frente para a Torre Eiffel
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

Estreia de modalidades
Assim como Tóquio recebeu as estreias de cinco esportes, entre eles o surfe e o skate, Paris-2024 também terá novas modalidades. A principal é a inclusão do breakdance, que sequer é esporte, seguindo o exemplo do que ocorreu nos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, em 2018. O plano do Comitê Olímpico Internacional (COI) é continuar atraindo o público jovem, além de tornar o evento mais plural.

O breakdance, oficialmente chamado de breaking, é um estilo de dança. Sabe aquele giro sobre a cabeça com as pernas para o alto? Surgiu nos Estados Unidos nos anos 1970, e tomou forma nas festas do Bronx, em Nova York, emergindo da cultura hip hop. 

Em Paris, a disputa será dividida em masculino e feminino, e terá 16 b-boys e 16 b-girls, como são chamados os competidores, se enfrentando em batalhas solo. Eles vão usar uma combinação de movimentos, improvisando ao ritmo das músicas tocadas pelo DJ, e serão avaliados por um grupo de juízes.

Surfe e skate serão mantidos no programa olímpico em Paris, assim como a escalada. Já o caratê e o beisebol/softbol não serão disputados.

O Stade de France vai sediar disputas de atletismo
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

Igualdade de gênero
Além das estreias - e das despedidas - de algumas modalidades, há também mudanças em esportes já tradicionais no programa olímpico. A marcha atlética masculina de 50km será substituída por um novo evento misto de atletismo. O boxe terá uma classe de peso feminino no lugar de uma classe do masculino.

Essas mudanças são para garantir a igualdade de gênero em Paris-2024, com 50% de participação masculina e 50% de feminina. Em Tóquio, a participação das mulheres foi de 48,8%.

Palácio de Versailles receberá o hipismo
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

Outra alteração já confirmada pode ser boa para Isaquias Queiroz. A C2 1000m da canoagem velocidade, prova em que o baiano foi prata no Rio-2016 com Erlon Souza e quarto colocado com Jacky Godmann em Tóquio-2020, deixa os Jogos, dando lugar à C2 500m. É bom lembrar que Isaquias e Erlon foram campeões do mundo nesta prova em 2018. Já a disputa da C1 1.000m, em que o baiano de Ubaitaba foi ouro no Japão, seguirá no programa.

Ainda na canoagem, haverá a estreia do slalom extremo, se juntando ao slalom de canoa e de caiaque. A notícia é boa para o Brasil: em junho, Pepê Gonçalves conquistou o ouro na etapa de Markkleeberg, na Alemanha, da Copa do Mundo da modalidade, e Ana Sátila também tem bons resultados.

Surfe no Taiti
A capital francesa não possui praias. Desta forma, a organização precisou escolher outro lugar para abrigar as disputas de surfe, e o escolhido foi Teahupoʻo, no Taiti. A distância é enorme: quase 16 mil quilômetros separam os locais, que estão até em diferentes continentes - Paris é na Europa, enquanto a ilha, a maior da Polinésia Francesa, fica na Oceania. Mas é considerada um território francês e, por isso, virou opção.

Com cenário paradisíaco e mar azul, a vila de Teahupoʻo é bem conhecida dos surfistas. Uma das etapas tradicionais do Circuito Mundial é por lá e, inclusive, a próxima janela de disputas será em breve: entre os dias 24 de agosto e 3 de setembro.

Italo Ferreira, campeão olímpico do surfe, na etapa de Teahupoo em 2019
(Foto: Matt Dunbar/WSL)

As ondas atingem seu pico no local entre maio e setembro, o que incluirá a época da Olimpíada. A formação é considerada perfeita para tubos, em razão de sua força e velocidade. Ao mesmo tempo, é perigosa, já que a onda se forma em um trecho da praia cheio de corais no fundo.

Nada de madrugada
Um dos principais desafios para o brasileiro durante a Olimpíada de Tóquio foi se manter acordado para assistir às disputas, já que várias aconteciam durante a madrugada. Em Paris, o problema será resolvido.

Tênis em Paris-2024 será no complexo de Roland Garros
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

O cronograma oficial dos Jogos, que acontecerão entre os dias 26 de julho e 11 de agosto, ainda não foi elaborado, mas a capital francesa tem fuso horário parecido com o de Londres, que recebeu o evento em 2012. E, na edição na Inglaterra, a maioria das provas aconteceu entre o início da manhã do Brasil até o fim da tarde, de 5h às 18h. Na época da Olimpíada, Paris fica cinco horas adiantada em relação a Brasília porque adota horário de verão.

Cartões-postais
O Comitê Organizador de Paris-2024 promete um evento sustentável e planeja que 95% das arenas usadas na Olimpíada sejam já existentes ou temporárias. Com isso, várias provas irão acontecer em cartões-postais da França. É o caso do vôlei de praia, que será disputado de frente para a Torre Eiffel.

Já o judô e a luta greco-romana acontecerão em uma estrutura que será montada ao longo da Champ de Mars. Uma das mais famosas pontes da Cidade-Luz, a Pont D'lena, que corta o Rio Sena, será transformada em uma arquibancada, para o público assistir às provas de triatlo e ciclismo. 

Uma arquibancada será montada na Pont D'lena
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

O Palácio dos Inválidos, que teve construção foi ordenada por Luís XIV, o Rei Sol, em 1670, receberá o tiro com arco. O local, aliás, é sede de museus e monumentos, e onde fica o túmulo de Napoleão Bonaparte.

As disputas do skate, do ciclismo BMX freestyle, basquete 3x3 e breakdance serão na Praça da Concórdia, no coração da capital francesa. E o Grand Palais abrigará a esgrima e o taekwondo.

A Praça da Concórdia terá esportes como o skate
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

Alguns esportes ocorrerão em lugares mais afastados de Paris, na região metropolitana. O hipismo, por exemplo, será no Palácio de Versailles. Já o Stade de France, na vizinha cidade de Saint-Denis, ao norte da capital francesa, sediará disputas de atletismo e rugby.

Outros estádios renomados também vão abrigar competições. O tênis será disputado no complexo de Roland-Garros, e o basquete e ginástica artística serão na Bercy Arena (ou AccorHotels Arena). Já futebol terá partidas no Parc des Princes, casa do Paris Saint-Germain, além ser sediado em outras cidades da França: Bordeaux, Nantes, Saint-Étienne, Lyon, Nice e Marselha. A última ainda receberá a vela.

Casa do PSG, Parc des Princes receberá jogos de futebol da Olimpíada
(Foto: Paris-2024/Divulgação)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas