Patrocinadora máster rompe com Chelsea e agrava crise no clube

esportes
10.03.2022, 18:32:00
Apesar do anúncio da Three, o Chelsea ainda entrou em campo com a marca no uniforme (Chelsea/Divulgação)

Patrocinadora máster rompe com Chelsea e agrava crise no clube

Three suspendeu vínculo com time inglês após sanções ao russo Abramovich

O Chelsea acaba de sofrer mais um baque e, a partir de agora, a equipe passará a jogar sem a logo de patrocinador máster no uniforme. A companhia telefônica Three anunciou, nesta quinta-feira (10), que suspendeu, de forma imediata, o contrato com o clube inglês.

A decisão da empresa veio no mesmo dia em que o Chelsea foi alvo de uma série de punições por causa de seu dono, o russo Roman Abramovich. O magnata recebeu sanções do governo do Reino Unido por seus laços com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em meio à invasão do país à Ucrânia.

A Three se tornou a principal patrocinadora do Chelsea na temporada 2020/21, quando as partes firmaram contrato de três anos. O vínculo rendia ao time 40 milhões de libras (R$ 263 milhões) por temporada, somando um total de 120 milhões de libras (cerca de R$ 794,4 milhões).

A empresa, porém, reviu a ligação com o clube e exigiu que a tradicional logo (um número 3 estilizado) seja removido do uniforme de jogo imediatamente. No entanto, o time entrou com em campo nesta quinta-feira (10), contra o Norwich, pela Premier League, ainda com a marca na camisa.

Além do uniforme, a Three exige que a logo seja removida do estádio Stamford Bridge e do CT de Cobham.

"Após o anúncio das sanções por parte do Governo, nós pedimos ao Chelsea FC que suspenda temporariamente nosso patrocínio ao clube, incluindo a remoção de nossa marca dos uniformes e do entorno do estádio por tempo indeterminado", disse.

"Nós reconhecemos que essa decisão irá impactar muitos torcedores do Chelsea, que acompanham o time de forma apaixonada. No entanto, sentimos que, devido às circunstâncias, e com as sanções impostas pelo Governo, essa é a decisão correta", completou a Three.

Além da companhia telefônica, outras marcas também estariam revendo a parceria com o clube inglês. Entre os patrocinadores atuais, estão empresas como a Nike, EA Sports e Hyundai.

Por causa das sanções impostas a Abramovich, o Chelsea perdeu o direito de comercializar ingressos e mercadorias, e não pode negociar saídas, chegadas ou renovações de jogadores. Além disso, o clube não pode ser vendido. Por outro lado, o time recebeu licença especial para continuar as atividades relacionadas ao futebol.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas