Petróleo é commodity, cobrada em dólar e não há como fugir, diz Castello Branco

brasil
25.02.2021, 11:23:00
Atualizado: 25.02.2021, 11:25:51
(Arquivo Agência Brasil)

Petróleo é commodity, cobrada em dólar e não há como fugir, diz Castello Branco

Presidente da Petrobras diz que empresa está endividada em dólar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, defendeu nesta quinta-feira, 25, novamente a política de preços de combustíveis da estatal, a Política de Paridade Internacional (PPI), no foco das críticas de Jair Bolsonaro. "É surpreendente dedicarmos tanta atenção ao tema da PPI no século XXI. Petróleo é commodity, cobrada em dólar, não há como fugir", afirmou em teleconferência sobre os resultados da companhia.

"A empresa ainda é muito endividada, em dólar; como conciliar com receita em real?", disse o executivo, acrescentando que se o Brasil quer ser uma economia de mercado, tem que ter economia de mercado. "Preços abaixo do mercado geram consequências negativas", comentou.

Como vem argumentando, novamente o presidente da Petrobras refutou que o combustível no País esteja caro, principalmente o óleo diesel. Segundo o executivo, pelo contrário, o valor cobrado no mercado interno está abaixo do da média global.

Ao ressaltar cortes de custos em sua gestão, destacou o plano de demissão voluntária (PDV), que contou com a adesão de 11 mil funcionários, dos quais 6 mil já deixaram a empresa.

O retorno aos acionistas ainda é "muito pobre", afirmou Castello Branco. Segundo ele, "o caixa ao longo do tempo deve ser reduzido para melhorar a eficiência na alocação de capital".

Castello Branco concluiu sua fala, então, elogiando os funcionários da companhia. "A empresa está numa trajetória excelente para ser a maior petrolífera com entrega de valor a acionistas", disse.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas