Presidente de equipe do MT faz ofensas racistas a goleiro antes de partida

esportes
01.11.2021, 16:59:00
Ofensa racista aconteceu antes da partida entre União Rondonópolis e Nova Mutum começar (Reprodução )

Presidente de equipe do MT faz ofensas racistas a goleiro antes de partida

Em seu depoimento, o atleta cita, entre as ofensas, que Anir Siqueira teria o chamado de 'negrinho vagabundo'

Pouco antes da bola rolar para a partida entre União Rondonópolis e Nova Mutum, pela 5ª rodada da Copa FMF 2021, o estádio Valdir Doilho Wons foi palco de mais um episódio de racismo protagonizado por um dirigente de futebol. Dessa vez, o presidente do Nova Mutum, Anir Siqueira, teria disparado uma série de comentários preconceituosos contra o goleiro da equipe mandante, Jaques Douglas da Silva Lima, chamando-o de “negrinho vagabundo”. O caso já foi registrado em boletim de ocorrência.

Em seu depoimento, Jaques contou que, durante o aquecimento, ele pediu para que o árbitro da partida, Luiz Paulo de Moura Pinheiro, lhe desse uma bola para seguir na preparação para o jogo, quando Anir começou a ofendê-lo. “Negrinho vagabundo, aqui não tem bola nenhuma não. As bolas que você quer estão lá no campo. Pode sair daqui, seu negrinho”, teria disparado o presidente do Nova Mutum. 

Ainda há outro relato na súmula de Luiz Paulo de Moura afirmando que um outro dirigente do União, Marcelo Wilian Gagliano, também teria presenciado um ataque racista de Anir Siqueira, quando ele teria xingado de ‘macaco’ o jogador Ruan Bahia. O árbitro acrescentou em sua súmula que o presidente do Nova Mutum “apresentava sinais claros de embriaguez”, mas nenhum membro da arbitragem e o delegado da partida presenciaram as ofensas por terem ocorrido nas arquibancadas.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas