Presidente do Santos pede prudência em caso envolvendo Robinho

esportes
13.10.2020, 12:30:00
Orlando Rollo e Robinho posaram para fotos durante a apresentação do atacante no CT do Santos (Divulgação / Santos FC)

Presidente do Santos pede prudência em caso envolvendo Robinho

Orlando Rollo ainda lembrou do caso de Neymar, que chegou a ser acusado de estupro, e disse aguardar a Justiça Italiana

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Muito criticado nas redes sociais e também nos bastidores do Santos, o presidente Orlando Rollo não demonstra arrependimento com a contratação do atacante Robinho. O dirigente saiu em defensa do jogador e usou até um caso envolvendo Neymar para reforçar que ainda é precoce fazer qualquer julgamento sobre o jogador, embora o atacante tenha sido condenado em primeira instância por violência sexual em 2017, na Itália.

"Pelas informações que tenho, não existe uma decisão definitiva da Justiça Italiana, o processo ainda está em curso, e será apreciado em outras instâncias", disse Rollo, que ressaltou que o clube é contra a violência. "O Santos historicamente sempre foi contra qualquer tipo de violência, especialmente a violência contra a mulher, e continuará sendo."

Robinho foi anunciado pelo Santos no último fim de semana e antes mesmo do acerto, muitos torcedores protestaram contra a possibilidade de retorno do jogador. Para Rollo, é preciso ter cuidado para evitar que haja uma condenação precoce pública, como aconteceu com Neymar, que chegou a ser acusado de estupro por Najila Trindade, mas foi absolvido do caso.

"Quero fazer uma lembrança, recentemente vimos que uma acusação contra o jogador Neymar na realidade era uma grande armação para tirar proveito do atleta. Por isso devemos ser prudentes e esperar a decisão da Justiça Italiana", destacou o dirigente santista.

Em 2017, Robinho foi condenado a nove anos de prisão na Itália por violência sexual em grupo. A acusação dá conta de caso envolvendo outros cinco homens ocorrido na cidade de Milão em 22 de janeiro de 2013. De acordo com o tribunal que julgou o caso, o grupo teria sujeitado uma mulher albanesa a repetidas humilhações e atos de violência sexual.

O jogador foi condenado em primeira instância, recorreu e aguarda por um novo julgamento, ainda sem data marcada. Robinho estava atuando no futebol turco e chega ao Santos com contrato válido até o fim do Campeonato Brasileiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas