Programa de TV desafia duplas de artistas a criar obra em 24 horas

entretenimento
20.08.2020, 06:00:00
Atualizado: 20.08.2020, 17:06:15
Malayka e Leonardo França formam uma das duplas (Foto: Yuri Rosat)

Programa de TV desafia duplas de artistas a criar obra em 24 horas

Culturama tem direçã de Daniel Lisboa e vai ao ar na TVE

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Lembra de seu tempo de estudante, quando tinha gincanas na sua escola? Em cima da hora, alguém anunciava a tarefa, a equipe juntava as pessoas mais aptas a realizá-la e era uma correria: muito improviso para, em pouco tempo, cumprir a missão.

É mais ou menos esse o clima do programa Culturama, que estreia nesta quinta (20) na TVE, às 21h30. Com uma diferença em relação às gincanas: no lugar de estudantes, estão artistas baianos, que trabalham em dupla e têm 24 horas para apresentar uma criação. Não há premiação nem competição, mas o desafio é muito estimulante para profissionais da criação que são chegados a um improviso.

A ideia do programa é do cineasta baiano Daniel Lisboa, diretor de Tropykaos (2015). Ele escolheu dez artistas das mais diversas áreas e, depois da seleção, criou as cinco duplas, esforçando-se para juntar pessoas de campos que não tivessem muita afinidade, para que a tarefa fosse ainda mais desafiadora. Dois exmplos: a artista multimídia Ana Dumas se juntou ao poeta Orlando Pinho e a artista visual Clara Domingas trabalhou com a cantora Larissa Luz.

Nelson Maca e Paula Carneiro em Cajazeiras (divulgação)

Um detalhe deixava o trabalho da dupla mais interessante: os integrantes só sabiam quem era seu parceiro na hora de começar a criação. Em dois encontros de doze horas cada, gravados em 2017, os artistas precisavam entregar seu produto. “É um formato que mistura um pouco reality show e documentário. A ideia é documentar o processo de criação e mostrar como nasce uma obra, revelar as etapas de criação, com a câmera ligada o tempo inteiro”, diz Daniel.

Regras
Havia ainda outros dois itens importantes nas regras: toda a participação acontecia na rua e cada dupla dispunha de um orçamento de 500 reais para comprar ou alugar material necessário para a sua criação. E, como num bom improviso, era permitido pegar qualquer coisa que aparecesse pelo caminho para incorporar ao produto final.

O dançarino e mestrando em dança Leonardo França, 40 anos, foi um dos artistas convidados e fez dupla com Malayka SN, artista visual e drag. Juntos, ficaram no Rio Vermelho e apresentaram como resultado do encontro um adereço com influência das culturas negra e indígena, feito com palha de mariô, uma folha do dendezeiro usada no candomblé.

Orlando Pinho e Ana Dumas se encontraram perto do Shopping da Bahia (divulgação)

“Tenho admiração enorme pelo trabalho de Malayka, mas nunca tínhamos trabalhado juntos. Foi muito bom porque, além do improviso, tinha outro desafio, que era ter uma interação com o local onde estávamos”, diz Leonardo. Mas, antes de partir para o trabalho propriamente dito, era preciso bater um papinho para entrar em sintonia: como parte do processo, os dois foram a um barzinho, tomaram uma cerveja e trocaram umas ideias. Isso, claro, dentro do tempo que dispunham para concluir a tarefa.

No primeiro dia do encontro, Malayka e Leo conversaram na presença de Negro Leo apresentador que também faz uma mediação entre os artistas. “Conversamos sobre nossas impressões políticas e sociais e falamos sobre o processo de urbanização descuidado de Salvador. Falamos sobre a praia, que não é devidamente limpa, sobre o rio...”. Depois de conversarem, imaginaram o que fariam e foram em busca do material numa feira da cidade.

Além de criar o adereço, trocaram experiências: enquanto Leo topou se maquiar e transformar seu corpo com a ajuda de Malayka, o colega se permitiu improvisar usando o corpo, como costuma fazer o próprio Leo em suas performances. Depois de apresentarem a criação, os dois foram dar um mergulho na praia, com direito a registro realizado por um drone.

Cada episódio da série tem 26 minutos e mostra uma das duplas em atuação. A exibição é toda quinta-feira, às 21h. A TVE também é transmitida no site irdeb.ba.gov.br.


ONDE ASSISTIR: TVE ou no site do Irdeb
HORÁRIO: quintas-feiras, às 21h30. Reprise às terças, 22h30.
DUPLAS: Quinta, 20/08: Yuri Tripodi e Livia Nery; Dia 27: Malayka e Leo França; 03/09: Larissa Luz e Clara Domingas; 10/09: Nelson Maca e Paula Carneiro; 17/09: Orlando Pinho e Ana Dumas  
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas