'Queria ser professor', revela Caetano Veloso

entretenimento
25.01.2020, 06:30:00
Atualizado: 25.01.2020, 09:19:15
Caetano se apresenta no TCA com Ivan Sacerdote, nos dias 8 e 9 (Foto: Fernando Young/Divulgação)

'Queria ser professor', revela Caetano Veloso

Cantor fala sobre vocação para descobrir talentos como Ivan Sacerdote, com quem se apresenta no TCA nos dias 8 e 9

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Caetano Veloso, 77 anos, queria ser professor. Sim, o cantor baiano que é um dos ícones da MPB revela que essa vontade existe por um simples motivo: ter a mesma oportunidade que um docente tem de descobrir as caras novas que vão surgir com o passar dos anos. Apesar de não estar na sala de aula, Caetano está sempre atento às turmas que se renovam na música, a cada Verão.

É assim que se mantém conectado às novidades e foi assim que conheceu o clarinetista Ivan Sacerdote, 32, carioca de nascimento e baiano de criação com quem lançou, há menos de dez dias, um disco delicado e potente que revisita a obra do veterano. Juntos, eles fazem o lançamento nacional do show Caetano Veloso Apresenta Ivan Sacerdote, no Teatro Castro Alves, no dia 8, às 21h, e o projeto ganha data extra no dia 9, às 20h.

Em entrevista ao CORREIO, limitada a cinco perguntas por e-mail, Caetano conta por que se encantou com Ivan, cujo currículo inclui a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), o Neojiba, a Orquestra Frevos e Dobrados e a cantora Rosa Passos. No papo breve e descontraído, o cantor, que parou o Porto da Barra em janeiro, fala sobre o que gosta de fazer na Bahia e revela que é filho de João Gilberto. Confira.

Você sempre dedica seu tempo e sua carreira para apresentar novos talentos brasileiros. Por que jogar luz em nomes como Ivan Sacerdote, importante para a música baiana, mas pouco conhecido fora da Bahia?
Gosto de conhecer gente nova. Desde a escola. Queria ser professor para poder manter aquela curiosidade anual tipo “que vai aparecer de novo na turma este ano”? Na música, gosto de saber quem está surgindo, de ouvir vozes novas, sons novos, ver novas caras. Ivan é um dos talentos que conheci dois verões atrás aqui em Salvador. Gostei do sopro e da firmeza musical dele tocando Futuros Amantes, com Seu Jorge ao violão. Paulinha ouviu a gente tocando umas coisas juntos e quis gravar.

No texto de divulgação do disco, Ivan diz: “Estamos aqui pra fazer Caetano feliz”. O que acha disso?
Só posso achar bom.

Depois de Ofertório, você apresenta um disco igualmente delicado nos arranjos. De que forma o minimalismo valoriza o repertório do disco e do show?
Como artista e como consumidor de arte, sou filho de João Gilberto. Meu primeiro critério crítico, aprendido no Chega de Saudade, foi minimalista. É um ponto a que sempre volto. Mesmo meus barulhos servem a isso.

Há mais ou menos dez anos, a mãe de Ivan Sacerdote, Neuza Ribeiro, 64 anos, passou na porta da casa de vocês em Santo Amaro e chegou a comentar com amigos: ‘Quem dera eu tivesse um filho gênio como dona Canô tem’. O que você diria para dona Neuza?
Puxa! Que história! Quando encontrar Ivan vou comentar isso, pedindo detalhes. Espero que Neuza esteja contente com nosso álbum.

Caetano foi flagrado curtindo a tarde no Porto da Barra (Foto: Tiago Caldas/ CORREIO )

Seu Verão na Bahia sempre rende bons frutos, concorda? Além de tocar com os amigos (o que te levou a conhecer Ivan) e visitar o Porto da Barra, o que mais gosta de fazer por aqui? Sua inspiração fica aflorada quando volta à Bahia?
Gosto de estar na Bahia. Gosto de ver as pessoas na rua, nos ensaios de bandas de Carnaval, na praia. De ver os caras jogando altinha na beirinha da onda no Porto da Barra. Me sinto entusiasmado aqui. Às vezes a sensação de estar em casa me faz querer não fazer nada, só estar. Às vezes esse relaxamento me estimula o trabalho. Aí as ideias para composição podem aparecer.

Ivan Sacerdote e Caetano Veloso se apresentam no TCA, dias 8 e 9 (Foto: Divulgação)

Serviço
O quê: Show Caetano Veloso apresenta Ivan Sacerdote. Participação de Felipe Guedes
Quando: Dia 8 de fevereiro, 21h, e dia 9 de fevereiro, às 20h
Onde: Teatro Castro Alves (Campo Grande)
Ingresso: R$ 180 | R$ 90 (A a P), R$ 140 | R$ 70 (Q a Z5) e R$ 80 | R$ 40 (Z6 a Z11)
Vendas: TCA, SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou Ingresso Rápido

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas