Rayssa Fadinha fica próxima de 6 milhões de seguidores e 'zoa' Legadão após ter conta verificada

esportes
27.07.2021, 20:40:00
Atualizado: 27.07.2021, 20:40:32
Rayssa foi a mais jovem a subir no pódio em Tóquio (Foto: Wander Roberto/COB)

Rayssa Fadinha fica próxima de 6 milhões de seguidores e 'zoa' Legadão após ter conta verificada

Medalhista brasileira ficou surpresa com o crescimento no número de seguidores durante os Jogos

De 0 a 100 km/h. Ou, melhor: de 600 mil para quase 6 milhões de seguidores. A conta de Rayssa Leal, a Fadinha, medalha de Prata no Skate dos Jogos Olímpicos de Tóquio está bombando. O número de seguidores da garotinha de 13 anos aumentou em quase 10 vezes nos últimos 10 dias - fato que assustou e alegrou a atleta, ao mesmo tempo.

"Quê? O que é isso minha gente? Não sabia não, eu quero ter um tempinho para olhar a internet. Desde o começo era um sonho ter o primeiro milhão, então hoje eu já tenho dois milhões e ainda medalha?", indagou, sorrindo, após o pódio.

Rayssa diz que ainda não teve tempo para atender seguidoras e seguidores como quer, mas garante que ainda vai encontrar uma brecha para conversar com sua legião. Aos 13 anos, Rayssa é entusiasmada para falar sobre o quanto a Olimpíada está sendo importante para o skate.

"Eu fico muito feliz que o skate consiga transformar. Está mudando e quero que as meninas também participem, agradeço ao COB por ter recebido muito bem a gente", disse.

Na "rede vizinha", o Twitter, os números de Rayssa ainda são "modestos" e a skatista tem pouco mais de 355 mil seguidores. Na manhã desta terça (27), ela percebeu que sua conta ganhou a verificação da rede social, o famoso selinho azul, e aproveitou para zoar uma das contas mais famosas da rede no Brasil, que, além de tudo, é conhecida por nunca conseguir a verificação: o Legadão, antigo Legadão da Copa, que ganhou fama pela atuação no Facebook e Instagram, mas também é hit no Twitter.

Sucesso... de vendas!
A prata de Rayssa em Tóquio fez com que as pessoas se interessem mais pelo skate. De acordo com a empresa, as vendas de artigo ligados ao skate subiram quase 80% em relação ao registrado na segunda-feira da semana passada, dia 19.

É o tipo de fato que mostra como o tempo é senhor das coisas: até bem pouco tempo, a circulação de skatistas era proibida em cidades como São Paulo. Isso foi decretado pelo então prefeito Jânio Quadros em junho de 1988. O veto municipal não pegou, houve uma manifestação dos skatistas em pleno Parque Ibirapuera no dia seguinte, com brigas e skatitas sendo agredidos pela guarda municipal. Ainda assim, o veto continuou até o ano seguinte, quando foi derrubado pela nova prefeita da capital paulista, Luiza Erundina.

Outro esporte que também tinha seus praticantes marginalizados e está em alta por conta do bom desempenho dos brasileiros na Olimpíada é o surfe. Na manhã desta terça (27), o paraibano Ítalo Ferreira se tornou o primeiro campeão olímpico da modalidade e o Netshoes já registrou um maior trânsito na busca por pranchas e acessórios, que aumentou 16,9% na plataforma até a segunda (26). Com o ouro de Ítalo, a expectativa é que essa busca siga crescendo.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas