Recife tem primeiro dia sem morte por covid-19 desde abril

coronavírus
08.09.2020, 10:35:32
Atualizado: 08.09.2020, 10:46:09
Cidade, no entanto, pode enfrentar aumento nos casos após registrar aglomerações no feriadão (Bobby Fabisak / JC Imagem)

Recife tem primeiro dia sem morte por covid-19 desde abril

Cidade já teve mais de 2.300 óbitos

No dia 25 de março de 2020, Recife confirmava o primeiro óbito pela covid-19. Desde então, foram notificadas novas mortes pela doença todos os dias, até essa segunda-feira, 7 de setembro, quando, pela primeira vez, a capital pernambucana não teve registro diário de mortes pelo novo coronavírus, apenas de 15 novos casos. Não ter tido notificação de óbitos, entretanto, não significa dizer que estes não existiram, já que, em muitos casos, as confirmações da doença são feitas dias após a morte do paciente.

Para a infectologista Vera Magalhães, o indicativo é positivo, mas não representa motivo para relaxamento. "É óbvio que é uma boa notícia de que não houve registro [de mortes], mas ainda não é momento de relaxar, porque estamos olhando apenas para o número de óbitos, que são casos graves, que vão para a UTI e morrem da covid. Isso é um dado bom, mas é insuficiente para garantir que não haja circulação viral, porque ainda estão sendo registrados novos casos da covid", afirmou. "Pelo comportamento das últimas semanas, está havendo, realmente, um controle desses óbitos, mas não sabemos em que nível está a infecção, porque não testamos de forma ampla", explicou.

A especialista alerta, ainda, que medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus devem ser mantidas, visando prevenir uma segunda onda da doença em Pernambuco. "Acho que tem que haver a flexibilização para a retomada de algumas atividades, mas deve haver o uso amplo de máscara para sintomáticos e assintomáticos, quem teve e quem não teve, deve haver o distanciamento social e a higienização das mãos, e deve-se evitar ambientes fechados. Ainda devem se manter em restrição as pessoas do grupo de risco e com complicações", orientou.

Os cuidados, no entanto, estão sendo deixados de lado por grande parte dos pernambucanos, como se pode observar no mesmo dia, feriado de 7 de setembro, nas praias do Estado. De Boa Viagem, no Recife, a Porto de Galinhas, em Ipojuca, as areias foram tomadas por milhares de pessoas, muitas descumprindo as recomendações sanitárias, e pela ausência de fiscalização eficiente por parte do poder público.

Esse cenário inquietou autoridades sanitárias, sanitaristas, epidemiologistas e parte da população que tem consciência de que o novo coronavírus ainda está entre nós. Para a médica epidemiologista Ana Brito, pesquisadora da Fiocruz Pernambuco, a consequência do comportamento adotado nas praias no feriadão será refletida nos próximos dias. "A expectativa é que, daqui a 5 dias, volte a aumentar o número de casos. De 10 a 14 dias, podem aparecer as formas moderadas e graves da covid-19. O vírus ainda circula", destaca Ana Brito.

Até o momento, o Recife soma 32.029 pessoas oficialmente notificadas como infectadas pelo novo coronavírus, sendo 23.088 casos leves e 8.941 casos de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG). Destes últimos, 2.309 evoluíram para o óbito.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas