Recuperação ambiental, diversidade e sustentabilidade estão na pauta das empresas

salvador
13.05.2022, 10:00:00
Mariana Lisbôa preside a Associação Baiana de Empresas de Base Florestal e é líder global de relações corporativas da Suzano (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Recuperação ambiental, diversidade e sustentabilidade estão na pauta das empresas

No I Fórum ESG Salvador, companhias apresentaram suas boas práticas

Muito se fala sobre o que deverá ser feito para garantir um desenvolvimento sustentável no planeta  para as futuras gerações. No entanto, iniciativas como a da empresa Suzano Papel e Celulose, de reduzir  o consumo de água nos seus  processos de fabricação, prática que foi apresentada durante os painéis do  I Fórum ESG, ontem, em Salvador, demonstram que para a companhia, o  futuro é agora.

Segundo a Suzano, são usados até 10 litros de água na produção tradicional de uma folha de papel, mas por meio de ações como a reutilização da água no processo industrial e pela recuperação de rios e nascentes na área de influência da companhia, é possível    garantir que ocorra uma  redução dessa quantidade. A empresa anunciou que  pretende avançar até o percentual de 15% de redução.

Na organização, o futuro também é representado pelo quadro do conselho de administração, composto por 33% de mulheres, como a primeira mulher presidente da Abaf (Associação Baiana das Empresas de Base Florestal) em 18 anos; além de líder global de relações corporativas da Suzano, Mariana Lisbôa, que durante o evento,  destacou a relevância do G de ESG:

"Na verdade, é lamentável que em 18 anos de existência da Abaf, eu seja a primeira mulher a ocupar a presidência da associação . Então, a importância não é a minha eleição, mas o fato de abrir caminho e espaço para as próximas mulheres que virão, até o dia em que isso não seja mais [tratado como] notícia", afirmou Mariana, sendo aplaudida pela plateia. 

Além da Suzano, outras duas empresas compuseram o primeiro painel do fórum - ‘Agenda ESG em setores econômicos’ - e destacaram suas iniciativas para promover as boas práticas ambientais, sociais e de governança.  

Participando virtualmente, Fabio Ferreira, gerente jurídico do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja, ressaltou o trabalho de reciclagem das latinhas de alumínio da Ambev.   Já a vice-presidente executiva de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil, Patrícia Audi, demonstrou o que um banco pode acrescentar ao desenvolvimento sustentável, citando a adesão à compra de carbono, desde 2010, o que torna a empresa neutra em emissão de carbono.

Reações do Público

Na plateia, as empresárias e biólogas de formação, Helen Aragão e Flora de Lima, estavam atentas aos cases apresentados para pensarem novas  soluções para a empresa que gerenciam, a Mirante Soluções Sustentáveis, no mercado há um ano. 

O interesse pela sustentabilidade foi propulsor para a abertura do negócio. "Apesar de ter outras letras, o ESG também foca no ambiente, então achamos interessante vir, para aprender um pouco mais e aplicar na nossa empresa”, disse Helen.

Para Danielle Pires, especialista em diversidade e inclusão, atuante no Instituto Ethos, também presente na plateia, este é um tema urgente e, por isso, se alegra em saber que há o interesse real de algumas empresas em se comprometer com a agenda ESG, não apenas com o conceito, mas com a prática.

“Em uma cidade como Salvador não podemos deixar de falar de diversidade. São muitas as pautas e recortes, mas temos como emergencial o recorte racial, pois há necessidade de reparação. Me deixa contente ouvir uma palestra com uma mulher negra, precisamos disso”, completou.
 

Entenda os conceitos:

Carbono Neutro - A expressão significa que a empresa  reduz onde é possível e balanceia  o restante das suas emissões de CO2 na atmosfera por meio de práticas de compensação, que podem tanto ser feitas pela compra de créditos de carbono ou pela recuperação de florestas em áreas que foram  anteriormente degradadas;

Sustentabilidade - É o desenvolvimento que não esgota os recursos ambientais para o futuro. A definição surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental;

Diversidade - É o conceito da sociologia  que serve para demonstrar que as pessoas são diferentes em termos de gênero, orientação sexual, classe social, cultura, raça e etnia,entre outros aspectos. E são essas diferenças que fazem  a  sociedade ser tão rica em experiências compartilhadas.

REVEJA O FÓRUM ESG SALVADOR

O I Fórum ESG Salvador é realizado pelo jornal  CORREIO e Alô Alô Bahia,  com o   patrocínio da Acelen, Unipar, Yamana Gold, Bracell, BAMIN, Socializa e Suzano; apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador e Sebrae; os apoios da Contermas, Battre, Termoverde, Terra Forte, Hela, Retec, Ciclik, Larco, Grupo LemosPassos, Fundação Norberto Odebrecht e Hiperideal; e  as parcerias de Vini Figueira Gastronomia, Fernanda Brinço Produção e Decoração, Uranus2, TD Produções, Vinking e Suporte Eventos.  

*Com a orientação do editor Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas