Reforma no IR desagrada mineração e comércio

donaldson gomes
03.09.2021, 05:00:00

Reforma no IR desagrada mineração e comércio

Ficou pesado
O setor mineral brasileiro está entre os descontentes com a reforma do Imposto de Renda, aprovada nesta semana pela Câmara dos Deputados. “O problema não é aumentar em meio ponto percentual a tributação da CFEM – os royalties pagos pelo setor. O que preocupa o setor é a completa ausência de uma política consistente para o fomento da atividade”, pondera o presidente da CBPM, Antonio Carlos Tramm. Além de estar sujeita à tribulação que incide sobre o restante da indústria, em torno de 38%, a mineração é uma atividade cujo investimento é de altíssimo risco, principalmente na etapa inicial, de pesquisa, que requer elevados volumes de recursos. “A atividade demora para dar retorno, é de alto risco e sem nenhum incentivo nas etapas iniciais. O investidor precisa de previsibilidade e não dá para todo dia aparecer uma taxa nova”, diz. 

Novo aumento
Em nota, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) lembrou que o cálculo da CFEM já havia sido alterado em 2017, com elevação de alíquota e mudanças na base de cálculo, chegando a aumentar até 100% em alguns casos. O instituto lembra que a mineração representa 65% do saldo comercial brasileiro e diz que a mudança vai afetar a competitividade das empresas no país. “Está em risco, além do saldo da balança comercial, o próprio Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro”, diz a nota. 

Impacto negativo
A Fecomércio-BA se posicionou de modo contrário a determinados pontos aprovados no Projeto de Lei que altera o Imposto de Renda. O principal deles é a inclusão da tributação de lucros e dividendos, por conta do risco de majorar os preços do setor de Serviços, gerando inflação e até aumento nos preços dos imóveis – o mercado imobiliário será um dos segmentos mais prejudicados. “Esperamos que o Senado possa corrigir esse ponto e alterar as regras sobre os lucros e dividendos, criando medidas mais justas para os contribuintes, sobretudo para as empresas que trabalham com regime de Lucro Presumido”, alerta o presidente em exercício da Fecomércio-BA, Kelsor Fernandes, que também preside o Secovi-BA, conhecido como o sindicato da habitação. A Fecomércio-BA defende o aumento da base de contribuintes pela formalização das atividades, o contrário do que deve acontecer com a majoração tributária.

Em expansão
A Uze, empresa baiana especializada em crédito para o varejo, está em franca expansão. Após dificuldades iniciais em 2020, provocadas pela pandemia, a empresa se recuperou e encerrou o último ano com um crescimento de 10%. Agora em 2021, a projeção é de um resultado ainda melhor, com alta de 20%. Presente em 18 estados, 896 cidades e mais ou menos 3 mil pontos de vendas, a empresa tem na Bahia a sua principal base para crescimento. Por aqui estão 302 dos 470 colaboradores da empresa e é através de uma parceria com a Ufba que a Uze desenvolve novas tecnologias para o varejo. “Temos operações em diversos locais, mas o nosso DNA é baiano, destaca André Vilas Boas, co-CEO da empresa. Uma das novidades gestadas pela empresa aqui no estado é o uso da biometria facial no varejo. “Temos um orgulho enorme desta parceria com a universidade porque nos ajuda a inovar e podemos retribuir viabilizando trabalhos de pesquisa”, explica. 

Tem vagas
A UZE está com 47 vagas de trabalho abertas nos setores de Tecnologia e Inovação, Marketing, Comercial, Núcleo, Cobrança e Central de Atendimento nas cidades de Salvador, Alagoinhas, Poções, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Itabuna, Vitória da Conquista, Porto Seguro e Itamaraju. Os benefícios oferecidos são seguro saúde, vale-refeição, vale-transporte e UZE Ben - um clube de benefícios com descontos de até 80% em diversas lojas parceiras e cashback. Desde janeiro de 2021 foram mais de 160 novas contratações em todo o corpo do negócio, 18% das admissões para cargos de liderança, nos quais as mulheres se destacam com 63% na ocupação dos postos. Para se candidatar às vagas, os candidatos devem se cadastrar pelo link: https://uze.solides.jobs

Sob medida
A Bradesco Saúde está apostando em um novo plano para as empresas baianas. O produto, com foco local, mas cobertura nacional, tem como diferencial a rede de prestadores nas principais regiões da Bahia. Os destaques ficam por conta dos hospitais Português e Santo Amaro, em Salvador, além de parceiros no interior. Além disso, o plano oferece um valor até 24% mais baixo se comparado com o seguinte na grade de produtos da empresa. Os beneficiários contam ainda com serviços como a plataforma de telemedicina Saúde Digital para consultas online, além de atendimento especializado em pós-Covid. Em julho, a Junta Comercial da Bahia (Juceb) registrou recorde dos últimos três anos na abertura de empresas. Foram mais de 3.500 novos negócios constituídos no mês, crescimento de 43,4% em relação a julho de 2020. O saldo entre registros de aberturas e extinções de foi positivo, com a diferença de mais de 1.500 novas empresas em julho, alta de 133% na comparação com julho de 2020.

Destaque
Por mais um ano consecutivo, a Larco é destaque entre as 1000 melhores empresas do país, segundo o Anuário Valor 1000. Na edição 2021, a empresa ficou em 1º lugar em rentabilidade na sua área de atuação. A distribuidora de combustíveis figura ainda na 12ª colocação entre as 50 maiores empresas do Nordeste, com uma variação positiva 20,4% em sua receita líquida.

Liquida
O Shopping Bela Vista está apostando num aumento de 20% no fluxo de pessoas e de 10% nas vendas durante a sua liquidação, de 09 a 12 de setembro. A promessa é de descontos de até 70%. “Estamos com ótimas perspectivas para o Bela Vista Liquida, que não aconteceu em 2020 por conta da recém abertura do shopping na pandemia”, diz o gerente de Marketing do Shopping Bela Vista, Ticiano Cortizo.

Marketplace
O marketplace Achei meu Ponto! é a aposta da Enashop para atrair empresários que pretendem expandir ou futuros empreendedores. São inúmeras opções para locação ou venda - lojas, salas comerciais, ou quiosques na Bahia, São Paulo ou Distrito Federal. Tudo isso, com o uso da tecnologia, na palma da mão. “Embora seja uma ferramenta tecnológica, ela não dispensa o olhar humano e esse é o nosso diferencial”, garante Alexandre Manzalli, diretor da Enashopp.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas