Santoro estrela série Sem Limites, épico histórico da Prime Video

entretenimento
07.07.2022, 06:00:00
Rodrigo Santoro e Álvaro Morte ((fotos: divulgação))

Santoro estrela série Sem Limites, épico histórico da Prime Video

Produção tem Álvaro Morte, o Professor da Casa de Papel, e estreia nesta sexta-feira (8)

No final dos anos 90, Rodrigo Santoro era um dos maiores candidatos a galã do país. Poderia ter se contentado com aquilo, mas o ator, que hoje tem 46 anos, preferiu arriscar-se em uma carreira internacional. Começou num telefilme, Em Roma na Primavera (2003). Depois, fez uma participação em As Panteras (2000).

Daí em diante, passou a ganhar mais espaço em produções como Che (2008), Simplesmente Amor (2003) e 300 (2006) e atuou em filmes em que estavam astros como Anthony Hopkins, Anne Bancroft, Benício Del Toro e Ewan McGregor.

Agora, é a vez do ator nascido em Petrópolis (RJ) contracenar com Álvaro Morte, o Professor de La Casa de Papel. Os dois estão em Sem Limites, série espanhola que custou 30 milhões de euros (R$ 165 milhões) e estreia amanhã na Prime Video. Em seis capítulos, o público vai conhecer a história da primeira volta ao mundo, que está completando 500 anos, e foi fundamental para o desenvolvimento da ciência, pois ajudou a provar que a Terra é redonda.

Álvaro Morte, o Professor de La Casa de Papel, vive Juan Sebastián Elcano

Santoro é o navegador espanhol Fernão de Magalhães (1480 – 1521) e Álvaro dá vida ao seu colega espanhol Juan Sebastián Elcano (1476 – 1526). As gravações aconteceram entre a Espanha e a República Dominicana e exigiram muita dedicação física do elenco, especialmente nas cenas de ação.

"Foi impressionantemente cansativo", diz Álvaro sobre as filmagens, em conversa com o CORREIO, via aplicativo. "Tinha cenas de esgrima, lutas corporais... e ainda tinha que me dividir com o trabalho em La Casa de Papel, que ainda estava em gravação", observa o ator.

Álvaro diz que se preparou intelectualmente para o papel e, para isso, leu alguns livros mencionados pela produção da série. Assim, pôde conhecer melhor o seu personagem:

"Quando se faz um personagem baseado em alguém real, é preciso, de alguma maneira, manter a história real. Mas é uma ficção. Soube que ele era muito religioso e que doou dinheiro à igreja quando morreu".

Álvaro observa que Elcano estava preso antes da viagem: "Mas ele teve a chance de se tornar um herói. Ele se perguntou: 'melhor permanecer preso ou aceitar a viagem?'". O navegador estava preso porque havia vendido seu barco espanhol a estrangeiros, o que era proibido na época.

Dedicação
Santoro aproveitou o isolamento durante a pandemia de covid para pesquisar sobre Magalhães: “Descobri muitas coisas que não sabia ao estudar a personagem, na internet e na literatura. Aprendi que foi ele quem nomeou o Oceano Pacífico, que existem duas crateras na lua e duas constelações batizadas em sua homenagem”.

Santoro é o português Fernão de Magalhães

Mas o ator queria se aprofundar no tema da série e, para isso, recorreu a aulas particulares com Vanessa de Cruz, historiadora espanhola que escrevia uma tese de doutorado sobre o navegador que Santoro interpreta.

“Nesse trabalho com a Vanessa surgiram muitas informações valiosas. Ela me mandou um monte de textos e imagens. Tive acesso até ao testamento dele. Foi um verdadeiro deleite, sou muito curioso e gosto de pesquisar. É uma parte do trabalho que me intriga e me motiva”, revela Santoro.

Embora seja português, o personagem do brasileiro fala espanhol em quase toda a série. Santoro já havia interpretado no idioma de nossos vizinhos da América do Sul, mas, desta vez, tinha que usar o sotaque da Espanha, ao contrário de outras ocasiões, em que havia interpretado personagens latino-americanos.

Falou espanhol em Che, Leonera e, mais recentemente, Un Traductor. Por conta própria decidiu fazer aulas com uma professora nativa para aprender o sotaque e peculiaridades da língua falada na Espanha. “A professora gostou do meu espanhol, mas concordou que era distinto do original. Os sotaques são muito diferentes. Fernão de Magalhães aprendeu a falar espanhol na Espanha, então iniciou-se ali o primeiro grande desafio. Ninguém me pressionou a fazer as aulas, mas achei que era muito importante para a autenticidade da personagem”, argumenta.

Já disponível no Prime Video

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas