Saulo, Davi Moraes, Cesinha e Luciano Calazans se juntam no Som do Sim

entretenimento
14.07.2021, 06:00:00
Atualizado: 14.07.2021, 16:07:07
Cesinha, Saulo, Davi Moraes e Luciano Calazans (divulgação)

Saulo, Davi Moraes, Cesinha e Luciano Calazans se juntam no Som do Sim

Quarteto lança single Essa é Pra Viver e planeja álbum influenciado pelo ijexá

Saulo, Davi Moraes, Luciano Calazans e Cesinha já se conheciam, literalmente, de outros carnavais. Já haviam trabalhado juntos em algumas ocasiões, em duplas, trios e uma vez em quarteto, na gravação do primeiro DVD solo de Saulo – e são amigos de muito tempo. O surgimento de uma banda formada pelo quarteto foi, então, algo quase natural.

E o primeiro trabalho do grupo - batizado Som do Sim - já está nas plataformas de música: o single Essa é Pra Viver, que dá início a uma série de canções que serão lançadas em breve, para a formação de um álbum e, certamente, para apresentações após o fim da pandemia. 

Esta primeira canção, segundo Davi, é um retrato daquilo que a banda propõe:

“É um espelho da levada e da mensagem que queremos transmitir. Foi a primeira que compusemos pensando na banda e curtimos muito porque fala de muita coisa importante para passar por essa ‘brabeira’ [a pandemia]: um olhar com carinho, solidariedade, liberdade, saúde, consciência e fé”.

Este trecho da letra diz bem a que Davi se refere: “Pra viver em paz/ É preciso muito mais/ que dinheiro, propriedade, carro novo, ostentação”. À primeira vista, parece apenas mais um verso saído daquelas músicas ‘good vibes’ que tomaram conta das rádios ultimamente. Essas músicas são feitas para o ouvinte se sentir bem, em paz, como fazem artistas da nova geração, a exemplo de Anavitória, Ana Vilela (de Trem Bala), Vitor Kley e Melim, mais focados no público adolescente.

Mas a sonoridade do quarteto recém-formado vai muito além disso: é música feita por adultos e para adultos, com arranjos mais complexos e elaborados, marcados principalmente pela presença de metais e uma levada de ijexá. “Temos como norte a coisa do atabaque e do agogô. Eles cabem em qualquer música nossa. O ijexá é nosso norte, mas com um toque contemporâneo”, diz Davi, que divide o vocal de Essa é Pra Viver com Saulo. A composição é de Davi, Luciano Calazans, Samir Trindade e Guto Wirtti.

O som percussivo também é uma marca forte do quarteto, tanto que um mestre baiano da bateria foi convocado: Cesinha, que foi do histórico Acordes Verdes – banda que acompanhava Luiz Caldas - e também tocou com Caetano Veloso, Marisa Monte, Cássia Eller e outras estrelas da música brasileira. Davi lembra que até a sua guitarra tem um tom percussivo:

“Quem me conhece sabe que ela é percussiva e, assim como meu pai [Moraes Moreira], eu aprendi a traduzir as misturas da música brasileira na guitarra. E Luciano traduz isso no baixo. Minha guitarra, às vezes, parece com o som de um timbau”.

A Som do Sim começou graças a um encontro que Cezinha, Luciano e Davi tiveram para gravar uma versão de Grito de Guerra, clássico de Moraes Moreira. O trio se encontrou no Rio de Janeiro e, entusiasmado com o resultado, decidiu seguir em frente com a ideia de formar uma banda.
Saulo, que está nos Estados Unidos, conta como se interessou em integrar o projeto: “Davi pirou quando viu os arranjos que Luciano tinha feito para Grito de Guerra e eu levei uma ‘pancada’ quando ouvi. Aí que me ofereci para entrar na banda”.

Saulo e Davi já se conhecem há muito tempo e já trabalharam juntos diversas vezes. Numa delas, Davi participou num show do amigo em homenagem aos Novos Baianos, quando Saulo fazia o Canto da Rua, que era uma série de shows no Jardim dos Namorados. “E também já participei com ele de alguns encontros de trios na Praça Castro Alves, quando tocava com meu pai”, lembra Davi.

O filho de Moraes Moreira diz que o pai, de alguma forma, é o responsável pela formação da Som do Sim, afinal foi a partir de Grito de Guerra que surgiu a Som do Sim. “Meu pai gostava muito de Cesinha, Saulo e Luciano. Acho que foi ele que montou essa banda pra gente. Ele era um cara de banda: foi assim com o Novos Baianos, com Armandinho Dodô e Osmar e a aproximação dele com A Cor do Som”, observa Davi.

Ouça a versão original de Grito de Guerra, de Moraes Moreira

E vem novidades em breve: duas outras músicas já estão gravadas e serão lançadas nos próximos meses. As composições, como aconteceu com Essa é Pra Viver, que surgiu a partir de um refrão de Guto Wirtti, são conjuntas e todo mundo tem direito de palpitar, porque, como diz Davi, “a química [entre os integrantes] é gigantesca”. “Temos uma alegria de banda de adolescentes”, diz o guitarrista. Saulo arremata: “Fiz uma com Davi, já fiz com Luciano. É a melhor parte”, diz o cantor, acrescentando que o estilo é diverso. “É diversão, amor, é tudo que a gente faz de melhor. Nós todos”.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas