Scheila Carvalho e Jacaré relatam preconceito na época do É o Tchan: 'jogavam latas'

entretenimento
13.09.2020, 14:10:00
Atualizado: 13.09.2020, 14:54:27
(Foto: Reprodução)

Scheila Carvalho e Jacaré relatam preconceito na época do É o Tchan: 'jogavam latas'

Revelações foram feitas no programa Altas Horas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O grupo É o Tchan marcou uma geração e a história da dança na música recente brasileira. Mas, trouxe também memórias ruins para alguns dos seus ex-integrantes. Foi o relato feito na noite deste sábado (12) pelos ex-dançarinos Scheila Carvalho  e Jacaré no programa Altas Horas (Globo/TV Bahia).  

O programa reuniu, virtualmente, Scheila Carvalho, Sheila Mello e Jacaré. Com Serginho Groisman, o trio relembrou histórias do grupo e também alguns momentos difíceis. Jacaré, por exemplo, falou do preconceito e xingamentos que enfrentava por dançar e rebolar nos palcos especialmente quando se apresentavam fora da Bahia. 

"Na Bahia, não [sofria preconceito]. Em Salvador, todo mundo dançava e todo mundo dança. Quando o grupo começou a ir para Sul, Sudeste, para a televisão, rede nacional, aí sim, foi muito complicado. Já recebi latada no joelho, machucou meu joelho, recebi muita gritaria. Hoje, fico muito feliz de ver que o Brasil inteiro hoje e espero que tenha contribuído para isso. Dançar é muito bom', contou o ex-dançarino.

Já Scheila Carvalho revelou que, na época do concurso que elegeu a nova morena do Tchan, no Domingão do Faustão, passou por preconceito por ter vencido a baiana Rosiane Pinheiro na final do concurso em 1997.

"Sofri um pouco desse preconceito regional. A Rosiane [Pinheiro, finalista do concurso junto com Scheila] era baiana e a Bahia inteira estava torcendo por ela. Nos primeiros shows com o É o Tchan, eu recebi muito urso na cara, [falavam] 'sai daí, sai daí', [ficavam] gritando Carla [Perez] (...) Como uma boa mineira, fui só comendo pelas beiradinhas, comendo quieto e fui conquistando meu espaço." . Rosiane se tornou dançarina no grupo Gang do Samba tempos depois.

Foto: Reprodução

Sheila Mello, por sua vez, alegou não perceber discriminações enquanto estava no grupo. No Altas Horas, ela destacou que notou o preconceito quando deixou o É o Tchan, em 2003: "Quando eu saí do Tchan, que fui fazer Artes Cênicas, depois fui para Bioenergética e, depois, Psicologia, eu vi o tamanho do preconceito. Como não tinha rede social, não era todo mundo que podia falar. Ninguém tinha coragem de falar. Então, só conheci esse preconceito, o tamanho dele, quando saí e fui pegando outros rumos e me deparando com outras pessoas."

Sheila Mello entrou para o É o Tchan em 1998, quando venceu Daniela Freitas em uma disputa no Domingão. Na época, o público votou e escolheu quem seria a nova dançarina a ocupar o lugar de Carla Perez.

Relembre as apresentações do grupo 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas