Secretaria Municipal de Saúde diz que Feira já tem 156 casos de febre Chikungunya

bahia
07.10.2014, 19:37:00
Atualizado: 07.10.2014, 19:39:36

Secretaria Municipal de Saúde diz que Feira já tem 156 casos de febre Chikungunya

Número é quase cinco vezes maior que o divulgado pelo Ministério da Saúde

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana informou que até este dia 4 de outubro confirmou 156 casos da febre Chikungunya na cidade. O número é quase cinco vezes maior do que o apresentado na última semana em boletim do Ministério da Saúde. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) não confirma o número e diz que aguarda novo boletim do ministério.

Segundo o boletim da Secretaria de Feira, dos 156 casos registrados entre 6 de julho e 4 de outubro, todos são autóctones, ou seja, de pessoas que não viajaram para fora do país. Destes, 19 foram confirmados em laboratório e 137 por critério clínico. Outros 21 casos foram confirmados e 585 continuam em investigação. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (7).

Foram notificados casos em 54 localidades do município, dentro os quais o bairro de George Américo apresentou 380 (49,86%) notificações, seguido pelo bairro Campo Limpo com 113 (14,82%), Sítio Novo com 36 (4,72%), povoado Rio do Peixe (Distrito de Jaguara) com 31 (4,06%), Cidade Nova com 20 (2,62%), Sobradinho com 18 (2,36%) e Pampalona foram 10 (1,31%) notificações.

Os casos estão concentrados na faixa etária de 35 a 49 anos e são mais comuns em mulhers - 501 mulheres com casos suspeitos contra 261 homens.

Vírus
A febre Chikungunya é causada por um vírus do gênero Alphavirus e transmitida pelos mosquidos Aedes Aegypti (transmissor da dengue) e Aedes Albopictus. Febre alta, dor muscular e nas articulações, dor de cabeça e erupções cutâneas são os sintomas da doença e costumam durar de três a 10 dias. O tratamento é feito com paracetamol, hidratação adequada e repouso.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o vírus foi identificado em 19 países já em 2004. No final de 2013, foram registrados casos em países do Caribe e, em março de 2014, na República Dominicana e Haiti. Nos meses seguintes, países da América Central e da América do Sul, inclusive os que fazem fronteira ao norte com o país, também registraram surtos de Chikungunya.

O Ministério da Saúde e a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) acreditam que o vírus chegou em Feira de Santana através de algum brasileiro que viajou pela América Central ou Caribe. Essa pessoa deve ter sido picada no exterior, contraiu o vírus e foi picada novamente em Feira. Esse último mosquito, então, picou outra pessoa.

Nos casos de doença, o recomendado é manter a hidratação dos doentes e comunicar imediatamente aos órgãos públicos, através dos números 136 ou 0800 644 6645.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas