Sem Fernandinho, Allan será titular da Seleção diante do Paraguai

esportes
26.06.2019, 18:43:42
Atualizado: 27.06.2019, 12:31:11
Allan, do Napoli, será titular no meio-campo (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Sem Fernandinho, Allan será titular da Seleção diante do Paraguai

Tite também confirmou manutenção do trio de ataque

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Na última entrevista coletiva antes do duelo com o Paraguai, nesta quinta-feira (27), às 21h30, em Porto Alegre, o técnico Tite confirmou praticamente todo o time titular da Seleção Brasileira. Sobretudo o substituto do volante Casemiro, suspenso.

Sem fazer mistério, Tite disse que Allan, do Napoli, jogará na função: "Fernandinho está fora do jogo. Quem joga é o Allan. Fernandinho ia jogar em suas condições normais e naturais, mas não está. Inclusive, contra a República Tcheca (amistoso em março, vencido pelo Brasil por 3x1) jogou Allan e Arthur".

Fernandinho se lesionou durante os treinos da Copa América, e inclusive sequer foi para o banco diante do Peru, no último sábado (22). Por estar voltando da contusão, Tite achou melhor não forçar a sua volta.

Casemiro recebeu o segundo cartão amarelo na goleada diante do Peru por 5x0. No último treino, realizado na tarde desta quarta-feira (26), no CT do Grêmio, os jornalistas só tiveram acesso ao aquecimento e não foi possível saber se Fernandinho iria para o jogo.

Perguntado se manteria o trio do ataque da goleada sobre o Peru, com Gabriel Jesus, Everton e Roberto Firmino, Tite não fugiu do assunto, mas foi curto na resposta: "Confirmado", disse, apenas.

Com isso, o time titular será Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Allan, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Everton e Roberto Firmino.

Tite falou sobre a expectativa de jogar na Arena do Grêmio, time que treinou entre 2001 e 2003 e pelo qual foi campeão da Copa do Brasil em 2001: "Eu aprendi algumas coisas. O público da Copa América, do Mundial, é muito diferente. É meio disperso. É um cara que compra por internet. Fica muito diluído, dividido. Eu gostaria de ter o carinho que tive quando eu treinei o Grêmio. Repassado isso aos atletas. Ficaria muito orgulhoso".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas