Série baiana Donas do Baba estreia no festival Cinefoot

entretenimento
25.11.2020, 05:55:00
Stéfani Coutinho, presidente das Tricoloucas, na série Donas do Babaa (Divulgação)

Série baiana Donas do Baba estreia no festival Cinefoot

Em sua 11ª edição, evento cruza audiovisual e futebol

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A série baiana Donas do Baba ganha lançamento dentro da programação do 11º Cinefoot – Festival de Cinema de Futebol. Única série nesta edição do evento, a produção mostra diferentes relações da mulher com o  futebol - seja dentro ou fora do campo. Os três episódios  - Torcedoras, Jornalista e Sonhos -  serão exibidos entre as 19h desta quarta (25) até 17h de sexta (27) , de forma online e gratuita através da plataforma INNSAEI.TV. As instruções de como assistir e mais informações do evento estão em www.cinefoot.org.

Com direção de Tais Bichara e Rodrigo Luna e roteiro de Pedro Perazzo e Eric Luis Carvalho, Donas do Baba foi realizada através do Bahia na Tela – Edital de Chamada Pública para Seleção de Projetos para Pré-Licenciamento de Produções Audiovisuais, promovido pelo Instituto de Radiodifusão Educativa do Estado da Bahia (IRDEB).

O episódio Torcedoras apresenta duas figuras importantes das arquibancadas de Salvador: Rosicleide Aquino, torcedora icônica do Vitória, e Stéfani Coutinho, presidente das Tricoloucas, torcida organizada do Bahia, composta só por mulheres – uma dobradinha que faz jus ao maior clássico do Norte-Nordeste, acompanhando as duas em jogos de seus clubes do coração e conhecendo um pouco de seus rituais e relações com seus estádios-casa.
 
Em Jornalista, o cenário é Turim, na Itália, onde a série acompanha a rotina da jornalista esportiva Clara Albuquerque. Longe do Brasil há três anos, ela é uma das poucas mulheres na cobertura de um dos maiores clubes do mundo, o Juventus. Coletiva, dia de jogo, programa ao vivo e os bastidores de todas as funções que Clara exerce como um time-de-uma-mulher-só, driblando fora de campo os preconceitos para ter voz e espaço.
 
Por fim, em Sonhos, as personagens Rakelly, de 11 anos, e Milena, 12,  desejam se tornar jogadoras profissionais de futebol. Moradoras de São Francisco do Conde, no interior da Bahia, cidade de um dos clubes de futebol feminino mais tradicionais do país, as meninas participam de um projeto de prática do esporte, mas ainda enfrentam muito preconceito e falta de estrutura. Elas são uma porta para a dimensão do sonho, uma outra realidade possível.
 
Nesta edição, o Cinefoot apresenta uma programação recorde de 76 filmes de 13 países e de todas as regiões do Brasil, istribuídas em 32 sessões. Além das exibições, o festival organiza a consagrada Mesa-Redonda, que reúne bate-papos com convidados especiais. Toda a programação é online e gratuita,. 
 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas