Simone Biles diz que abuso sexual pode ter afetado seu desempenho

esportes
04.08.2021, 23:05:00
Atualizado: 04.08.2021, 23:06:09
Simone Biles competiu na final da trave em Tóquio e levou o bronze (Lionel Bonaventure /AFP)

Simone Biles diz que abuso sexual pode ter afetado seu desempenho

Ginasta revelou em 2018 que foi abusada por Larry Nassar, ex-médico da seleção americana

Maior estrela da ginástica artistica mundial, Simone Biles desistiu de grande parte de suas competições na Olimpíada de Tóquio, citando que piorizaria sua saúde mental. De volta aos Estados Unidos, a atleta avaliou que o abuso sexual que sofreu de Larry Nassar, ex-médico da equipe americana, pode ter interferido no seu desempenho no Japão.

"Agora que penso nisso, talvez na minha cabeça, provavelmente sim, porque existem certos gatilhos", afirmou, em entrevista ao programa Today Show. "Nem sempre conhecemos esses gatilhos, e eu acho que posso tê-los".

Nassar foi condenado a 175 anos de prisão em 2018, após quase 300 denúncias de assédio sexual virem à tona. Antes da sentença, Simone revelou que era uma das vítimas, e é a única que segue em atividade. Outras grandes ginastas que defendiam os Estados Unidos, como McKayla Maroney, Aly Raisman e Gabby Douglas, se aposentaram.

Segundo o Today Show, um dos motivos de Biles querer competir em Tóquio era, justamente, chamar a atenção para o assunto e exigir algum tipo de mudança. A pressão, porém, pode ter pesado.

"Sabia que, ainda sendo a cara da ginástica dos EUA, e de tudo que trouxemos à tona, isso não seria jogado para baixo do tapete. Essa é uma conversa muito longa", explicou. "Ainda temos que proteger aqueles atletas, e descobrir por que isso aconteceu, quando e quem sabia", continuou.

Simone Biles abriu mão de cinco finais. Ela saiu em meio à competição por equipes, em que recebeu a medalha de prata, e não competiu no salto, solo, barras assimétricas e no individual geral. A única disputa que participou foi a trave, em que ficou com a medalha de bronze. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas