Sintra fica do lado de Lisboa e tem a maior cara de conto de fadas

bazar
17.11.2014, 08:13:00
Atualizado: 01.12.2014, 14:56:42

Sintra fica do lado de Lisboa e tem a maior cara de conto de fadas

Conheça a pequena Sintra, em Portugal, cidade para viver a fantasia lusitana

Para você ter uma ideia do quanto Sintra é bonita, saiba que foi a primeira cidade da Europa a entrar na lista de Paisagem Cultural, do Patrimônio da Humanidade (Unesco). Isso em 1995, três anos depois da criação da categoria pela ONU. Parte do Parque Natural de Sintra, Cascais, o município tem cerca de 300 mil habitantes e fica a pouco menos de 33 quilômetros de Lisboa.

Desde a época da ocupação muçulmana era parada de veraneio de reis e nobres, que construíram palácios e jardins lindos. Da estação de trem até o centro, a caminhada é de 10 minutos. Você sente que chegou quando o Palácio Nacional de Sintra começa a dividir as atenções com o cheiro tentador que sai das padarias e docerias. Nelas, dá para provar os tradicionais travesseiro e queijadinha.

O primeiro é um pastel folhado com recheio de ovos e amêndoas. O segundo é outro doce típico, que lembra o pastel de nata, só que com massa mais pesada e à base de queijo. Ótima pedida para viagem de um dia, dá para chegar lá a partir de Lisboa, pela estação de comboios do Rossio.

Os trens partem a cada 15 minutos, a viagem dura uns 39 minutos e custa € 2,50 o trecho. Com algum Eurail Pass, o ticket pode sair de graça. De carro, basta seguir pela autopista IC-19. 

O Palácio da Pena fica no alto do Monte da Pena, é todo colorido e já foi residência de Verão da Coroa Portuguesa (Foto: Victor Villarpando)

Palácio da Pena - Construído em 1839, sobre as ruínas de um antigo mosteiro do século XVI, o Palácio da Pena mistura as influências arquitetônicas manuelina e mourisca, num cenário típico de contos de fadas. O edifício, que já foi residência de Verão da coroa portuguesa, é tido como expoente máximo do romantismo lusitano e principal monumento de Sintra. No interior, reinam a mobília luxuosa, as pinturas murais e os revestimentos em azulejo, especialmente no Salão Nobre, na Sala Árabe e na capela.

Perto do Palácio fica também o Parque da Pena, que tem plantas de todos os continentes pelos seus 85 hectares - com destaque para o Jardim das Camélias. Seus caminhos sinuosos levam a belos mirantes, como a Cruz Alta, a Gruta do Monge, a Fonte dos Passarinhos. Um micro-ônibus faz o trajeto entre o Parque e o Palácio por € 3. O complexo abre de 10h às 18h e o ingresso para Palácio + Parque sai por € 11,50. Fica no topo do Monte da Pena, que é lindo. Mas não se engane com a estradinha fofa: a subida é íngreme e longa. Melhor pegar o autocarro de número 434, cujo ciclo de viagem custa € 5. Se quiser admirar a paisagem a pé, opte pela descida. 

Castelo dos Mouros é resquício da ocupação árabe na região: meio do caminho para o Palácio da Pena (Foto: Wikicommons/Divulgação)

Castelo dos Mouros - Um dos resquícios da presença islâmica na Península Ibérica, o Castelo dos Mouros foi construído entre os séculos VIII e IX e ampliado depois da reconquista cristã. Do alto da dupla cintura de muralhas, a vista é linda. Dá para ver a vila de Sintra, a serra, as árvores, as casas, o mar e o Palácio da Pena.

No interior, reformado em 2013, destacam-se a cisterna moura, o Torreão Real e as instalações em madeira, que evocam torres medievais. Investigações arqueológicas descobriram sepulturas da Idade Média, habitações muçulmanas e objetos do período neolítico. Fica no caminho para o Palácio da Pena, a 3,5 km do centro. Vá de ônibus. O Castelo funciona das 10h às 18h e o bilhete custa € 6,50. 

Quinta da Regaleira é um dos mais curiosos pontos de Sintra: lindos jardins e construções enigmáticas (Foto: Wikicommons/Divulgação)

Quinta da Regaleira - A mansão que fica perto da entrada é linda por fora e por dentro, onde estão as exuberantes salas da Renascença, dos Reis e da Caça. O Palácio foi construído em estilo romântico revivalista, com elementos góticos, manuelinos e renascentistas, misturados às simbologias esotéricas. Depois da casa, siga o caminho dos jardins. Ele leva ao Poço Iniciático, uma torre invertida de 27 metros que desemboca num túnel subterrâneo que leva ao lago.

É ponto mais enigmático da propriedade, que já pertenceu à Baronesa da Regaleira e ao milionário exótico António Augusto Carvalho Monteiro. Construída no início do século XX, a Quinta fica a 20 minutos de caminhada do centro. Abre às 10h e, de abril a setembro, fecha às 20h. Ingresso: € 6.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/sandy-lanca-musica-em-parceria-com-iza-ouca/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/hbo-dos-eua-estreia-a-amiga-genial-adaptacao-do-romance-de-elena-ferrante/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/autor-de-latrocinio-contra-o-assessor-michel-e-preso-em-santa-catarina/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/atriz-instala-cameras-em-quarto-para-gravar-agressoes-do-marido-veja/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/webserie-inspira-empreendedores-assista/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/o-ultimo-a-sair-apaga-a-luz-do-othon-hotel-ja-esta-sem-nenhum-hospede/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/piloto-alema-de-17-anos-sofre-acidente-grave-e-sera-operada/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/temer-ressalta-forca-e-estabilidade-das-instituicoes-em-pronunciamento/