Sul-Americana impede Atlético-MG de jogar semi no Independência

esportes
28.08.2019, 14:47:01
Atualizado: 28.08.2019, 16:27:06
Atlético não poderá jogar no Independência pela Sul-Americana (Pedro Souza/Atlético-MG)

Sul-Americana impede Atlético-MG de jogar semi no Independência

Estádio não cumpre regulamento da competição, que estabelece capacidade mínima de 30 mil pessoas para o duelo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Classificados às semifinais da Copa Sul-Americana, os jogadores do Atlético-MG voltam nesta quarta-feira (28) ao Brasil - depois da vitória por 3x1 sobre o La Equidad, na Colômbia - já sabendo que não terão mais o estádio Independência, normalmente usado pelo clube em Belo Horizonte, na competição. Isso por causa da capacidade da arena.

De acordo com o regulamento da Copa Sul-Americana, em seu artigo 71, os estádios que vão receber os jogos das semifinais deverão ter capacidade mínima para 30 mil espectadores. Como o Independência comporta apenas 23 mil, a diretoria do Atlético-MG terá que optar pelo Mineirão, que abriga mais de 60 mil pessoas, para enfrentar o Colón, da Argentina.

O primeiro duelo contra os argentinos será na cidade de Santa Fé, no estádio Brigadier General Estanislao López, que tem capacidade para quase 40 mil torcedores. O jogo de volta será de mando do Atlético-MG. As datas ainda serão confirmadas pela Conmebol, mas estão previstas inicialmente para os dias 18 e 25 de setembro.

Essa troca de estádio por causa da capacidade mínima pode ser resolvida pelo Atlético-MG em um futuro que parece estar próximo.

Nesta quarta-feira (28), o clube cumpriu mais uma etapa do licenciamento ambiental para construção de sua arena. O processo administrativo de compensação ambiental do local foi aprovado por unanimidade em reunião ordinária da Câmara de Proteção à Biodiversidade e de Áreas Protegidas (CPB), do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam).

A reunião foi realizada na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - Semad, em Belo Horizonte. Esse foi o penúltimo passo para que a arena do Atlético-MG obtenha o Documento Autorizativo de Intervenção Ambiental (Daia), no Instituto Estadual de Florestas (IEF).

O novo estádio do Atlético-MG será construído no bairro Califórnia, na região noroeste de Belo Horizonte. O nome oficial da arena pertence à MRV Engenharia, que comprou os "naming rights". Com capacidade prevista de 47.465 lugares, no planejamento, o local será semelhante a um caldeirão, com apenas oito metros de distância entre as cadeiras e o campo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas