Taos, aceleramos o novo SUV da Volkswagen

só se vê no correio
18.06.2021, 09:00:00
Produzido na Argentina, o Volkswagen Taos chega ao mercado brasileiro em duas versões, sempre com motor turbo (Fotos: Volkswagen)

Taos, aceleramos o novo SUV da Volkswagen

Custando inicialmente R$ 154.990, veículo chega para disputar com Compass e Corolla Cross. Veja avaliação em vídeo

A oferta de SUVs no portfólio da Volkswagen cresceu consideravelmente nos últimos dois anos. Neste período, foram lançados T-Cross, Nivus e agora o Taos. Antes disso, só havia o Tiguan Allspace.

O novo veículo é posicionado entre o T-Cross e o Tiguan, e faz parte de segmento que atualmente é dominado pelo Jeep Compass, que foi atualizado recentemente, e o Toyota Corolla Cross, lançado neste ano. Há ainda outras opções, como Chevrolet Equinox, Caoa Chery Tiggo 8, Ford Territory, Hyundai Tucson e Kia Sportage.

Dê play e confira a avaliação do Taos

A receita da Volkswagen é simples e eficiente: a plataforma é a MQB, que em suas diversas variações equipa mais de 70 produtos do grupo, e uma motorização turbo. Além disso, a empresa optou por uma oferta sucinta de apenas duas configurações: Comfortline (R$ 154.990) e Highline (R$ 181.790). 

Para a primeira haverá dois pacotes de equipamentos opcionais, que incluem itens de conforto e segurança, totalizando R$ 10.210. Para a Highline o único item que pode ser incorporado é o teto solar (R$ 5.520).

Por baixo das linhas robustas, que seguem as adotadas no Atlas e no Touareg, o Taos tem um bom espaço interno - que dá conforto inclusive a quem viaja no banco traseiro - e muitas tecnologias. Para auxiliar eventuais distrações do motorista e facilitar a condução, há equipamentos como um detector de pedestres, que até para o SUV para evitar um atropelamento.

Nessa linha, há alerta de ponto cego, que avisa se há uma motocicleta, por exemplo, em uma zona não coberta pelos retrovisores. Outro recurso que ajuda o motorista, e até o denúncia para os outros ocupantes, é o sensor de fadiga, que por um cruzamento de parâmetros identifica que o condutor está cansado e sugere uma pausa. O símbolo é uma graciosa xícara de café.

Já o piloto automático é do tipo adaptativo. Se você indica que quer andar a 80 km/h e um veículo na frente reduz a velocidade, o Taos fará o mesmo e vai manter uma distância pré-definida. O sistema até para o carro, e se essa parada for de até 3 segundos, quando o outro carro sair do caminho, ele retomará a velocidade estabelecida inicialmente.

A boa dirigibilidade é um dos destaques do Taos
A boa dirigibilidade é um dos destaques do Taos (Foto: Pedro Dantas/VW)
O volante é o mesmo da nova geração do Golf e o quadro de instrumentos é digital
O volante é o mesmo da nova geração do Golf e o quadro de instrumentos é digital
Uma das etapas do teste foi com pista molhada
Uma das etapas do teste foi com pista molhada (Foto: Pedro Dantas/VW)
O sensor de fadiga é oferecido em todas as versões e o de ponto cego na Highline
O sensor de fadiga é oferecido em todas as versões e o de ponto cego na Highline
A transmissão é sempre automática de seis velocidades
A transmissão é sempre automática de seis velocidades
O teto solar panorâmico é opcional na versão Highline
O teto solar panorâmico é opcional na versão Highline
Há saídas de ar na parte traseira do novo SUV
Há saídas de ar na parte traseira do novo SUV
São 4,46 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,68 m de distância entre-eixos
São 4,46 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,68 m de distância entre-eixos

Produzido na Argentina, o Taos é equipado exclusivamente com o motor 1.4 litro. Esse propulsor, que é fabricado em São Paulo, rende 150 cv de potência e 25,5 kgfm de torque com gasolina e/ou etanol. É sempre associado a uma transmissão automática de seis velocidades.

Os dois principais concorrentes, Compass e Corolla Cross, levam vantagem em oferecer soluções de motorização. O SUV da Jeep tem, além do flex, uma motorização a diesel (que inclui tração 4x4) e o modelo da Toyota oferece uma opção híbrida.

Experiência
Conheci o Taos em março, naquele momento as impressões foram de bom acabamento e espaço, incluindo o do compartimento de carga. É desse Volkswagen o título de maior porta-malas da categoria, com capacidade para 498 litros.

Agora foi a vez da experiência dinâmica, que aconteceu em uma pista de testes. A dirigibilidade foi aprovada, com destaque para a boa calibração da direção, que conta com assistência elétrica, e o bom desempenho do motor turbo.

A suspensão é independente nas quatro rodas, o que melhora o conforto e auxilia na dinâmica do veículo. A dianteira é do tipo McPherson e atrás é uma configuração multilink com vários pontos de fixação. Seu bom acerto é responsável por deixar o Taos com pouca rolagem de carroceria. Para completar, os freios são a disco nas quatro rodas.

O JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA VW
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas