Técnico Eduardo Barroca é demitido do Botafogo

esportes
07.10.2019, 08:42:00
Atualizado: 07.10.2019, 13:29:17
Eduardo Barroca não comanda mais o Botafogo (Divulgação Botafogo)

Técnico Eduardo Barroca é demitido do Botafogo

A diretoria do clube carioca tomou a decisão após a derrota por 1x0 para o Fluminense, a quarta seguida no Brasileirão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O técnico Eduardo Barroca, 37 anos, não resistiu à derrota no clássico para o Fluminense por 1x0, domingo (6), no Engenhão, e a série de quatro tropeços seguidos pelo Botafogo no Campeonato Brasileiro. Após o novo revés, a diretoria se reuniu com o treinador e acertou o seu desligamento do comando do time.

O vice-presidente de futebol do clube, Gustavo Noronha, oficializou a demissão, em entrevista coletiva, após uma reunião que durou mais de uma hora e meia com a diretoria.

"O Botafogo precisa de uma reação no campeonato. Nossa sequência é muito negativa no segundo turno. Ocorreu um consenso que neste momento a gente precisava de uma mudança. Vamos com calma buscar um profissional que esteja adequado com nossa forma de jogar e também respeitando nossa situação financeira", explicou o dirigente.

Auxiliar-técnico permanente, Bruno Lazaroni deve dirigir o time interinamente contra o Goiás, na quarta-feira (9), pelo Brasileiro, novamente no Engenhão. O adversário, ao contrário do time carioca, vem em alta com quatro vitórias seguidas.

Barroca foi contratado em abril, quando comandava a categoria Sub-20 do Corinthians, para substituir Zé Ricardo. O começo do jovem treinador na equipe foi animador. O time carioca terminou em 10º lugar, posição acima do esperado. No segundo turno, porém, o Botafogo não somou um ponto sequer até então. Já na Copa Sul-Americana, Barroca levou o Botafogo até as oitavas de final, sendo eliminado pelo Atlético-MG.

O comandante deixa o Botafogo com dez vitórias, três empates e 14 derrotas. O time carioca não vence desde a 18ª rodada, na qual superou o Atlético-MG por 2x1, no 8 de setembro, no Rio.

Depois da derrota no clássico e o péssimo momento que vive o time, os jogadores deixaram o Engenhão sem conversar com a imprensa. Por precaução, a diretoria reforçou a segurança na sede do clube, temendo represálias e protestos das torcidas organizadas. Para o atacante Rodrigo Pimpão, é preciso seguir em frente com o trabalho e acreditar em uma reação no Brasileirão.

"A gente não vai baixar a cabeça. É preciso a ajuda de todos, inclusive a torcida veio e nos apoiou. Todos precisam querer. Cada um tem um caráter e deve ter a consciência de que é preciso melhorar", disse o jogador ainda no gramado, uma vez que os jogadores não estão dando entrevistas na zona mista por causa dos atrasos de salários. No intervalo do jogo, nenhum atleta quis falar com os repórteres.

Com 27 pontos e na 12ª posição, o Botafogo começa a se preocupar com a parte debaixo da tabela. Para piorar, terá dois desfalques importantes para o duelo de meio da semana pelo Brasileiro. O zagueiro Joel Carli e o lateral-esquerdo Gilson levaram o terceiro amarelo e não enfrentam o Goiás.



***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas