Temperos do Comércio resistem apesar das dificuldades da pandemia; veja lista de restaurantes

salvador
05.12.2021, 11:00:00
Colon fechou após 107 anos (Paula Fróes/CORREIO)

Temperos do Comércio resistem apesar das dificuldades da pandemia; veja lista de restaurantes

Fundado há 107 anos, O Colon encerrou as atividades

O Comércio, com sua arquitetura que remete à Paris da Belle Époque, no século XIX, combinada com prédios modernos, é um dos bairros mais originais e bonitos de Salvador. No local, por 107 anos, funcionou o Colon, fundado pelo espanhol José Maria Orge, que veio para o Brasil fugido da I Guerra Mundial (1914-1918). Era considerado o restaurante mais antigo da cidade, mas não resistiu aos tempos pandêmicos. 

Mara Orge, 52 anos, não esconde que os dias seguintes ao encerramento das atividades do Colon não têm sido fáceis. Atualmente, ela dá conta da burocracia para passar o ponto adiante, enquanto relembra os muitos momentos vividos à frente do negócio. Casada com Juan Orge, neto do fundador do restaurante, desde 1998, Mara conduzia o estabelecimento ao lado do marido.

“Passei parte da minha vida aqui, com muita dedicação. A casa tem uma linda história, nunca imaginávamos que um dia poderia vir a desocupá-la por falha na estrutura [a Defesa Civil interditou o prédio de mais de 250 anos no ano passado por medida de segurança]. A família está desolada”, lamenta.

Citado no romance ‘O Sumiço da Santa’, de Jorge Amado (1912-2001) - o escritor baiano era um dos frequentadores assíduos - , o Colon deixou seu legado no Comércio. Enquanto isso, outros estabelecimentos resistem no bairro, que também ganhou outros equipamentos culturais como a Casa da Música, e empresariais, como o Hub Salvador (veja lista abaixo). 

Para o historiador Francisco Senna, o Comércio precisa ser ocupado pelos próprios soteropolitanos para tornar a região mais viva. O bairro, que nasceu com o propósito de ser um centro comercial e financeiro a partir do porto de Salvador, segundo ele, também tem potencial para edifícios residenciais.

“É possível ter habitações na região. A Avenida Contorno, com prédios residenciais, já provou isso. Oferta de serviço não falta. O que falta é mobilidade, acessibilidade. O transporte público da nossa cidade não é eficiente, principalmente naquela área. Espero que a situação melhore com a implantação do BRT. Solução sempre existe, basta que haja incentivo para as pessoas”, destaca Senna. 

Os desafios para manter negócios no bairro, porém, vão além da mobilidade. A falta de segurança, inclusive, é a maior reclamação dos proprietários e administradores dos 11 locais visitados pelo CORREIO e listados nessa reportagem.

Em nota, a Assessoria de Comunicação da Polícia Militar afirmou que “o policiamento é realizado no local com viaturas empregadas diuturnamente, em rondas e abordagens. A unidade conta ainda com o apoio da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT) Rondesp Baía de Todos-os-Santos, do Batalhão Especializado de Polícia Turística (Beptur) e do Batalhão de Polícia de Reforço Operacional (BPRO)”. Ainda segundo a PM, diversas operações são desenvolvidas no bairro, principalmente no Verão, por conta do fluxo de turistas. A corporação diz que há previsão de ser implementada, ainda este mês, a Operação Navio, que irá ocupar todo o bairro com emprego de efetivo policial, para melhor atender a sociedade em geral e os turistas.

Frequentador do Colon há 22 anos, o profissional de TI e fotógrafo Álvaro Pereira, 44, vai sentir falta do clima que ele tão bem capturou em suas lentes, ao longo de mais de duas décadas: “O que me fará sentir saudade é a forma como os proprietários interagiam com os clientes. O restaurante era uma verdadeira fraternidade”, afirma. Para outros saudosos do Colon, vale a pena conhecer outros 11 sabores do Comércio:

Bares e restaurantes para conhecer no Comércio: 

CAFÉ NO PORTO 

Café no Porto funciona no Hub Salvador e tem vista privilegiada para a baía

(Foto: Nilma Gonçalves)

Inaugurado durante a pandemia, o Café no Porto funciona há nove meses no Hub Salvador. O lugar é administrado por Emanuelle Lima Santos e Cíntia de Oliveira, ex-funcionárias do estabelecimento anterior que existia no local, que se uniram para manter a casa. É possível realizar palestras corporativas e eventos privados. Às sextas, tem happy hour, com direito a cerveja na mão e o pôr-do-sol deslumbrante da baía de Todos-os-Santos. Destaque para o café cremoso, bebida “tipo capuccino, mas com creme de café ao invés de expresso, chocolate 50%, leite e canela", entrega Emanuelle Lima. O bolo de tapioca também é um espetáculo. 
Funcionamento: 8h às 19h, de segunda a sexta

Endereço: Av. da França, 393, 2º andar, Comércio
Telefone: 71 99347-7611
Instagram: @cafe_noporto

PORTO BAHIA 

O Porto Bahia também é conhecido como A Boca Bar

(Foto: Nilma Gonçalves)

Também conhecido como A Boca Bar, abre para o almoço e para o happy hour. Muito bem localizado na Rua da Grécia, oferece diversas opções para quem trabalha no Comércio. É provável que você dê de cara com um dos sócios, Adalto Prazeres, sentado na mesinha em frente ao bar, negociando os produtos que abastecem o buffet a quilo. São 30 anos de casa. De 10 anos para cá, os sócios vêm sentindo as consequências da falta de investimentos no Comércio. O período pandêmico é o mais crítico de todos, ainda mais que culminou com o fechamento de faculdades na região, que, segundo ele, contavam com cerca de 7 mil estudantes, todos circulando entre os estabelecimentos comerciais. Seu Adalto tem orgulho de dizer que não demitiu nenhum dos 15 funcionários durante a pandemia e tem esperança em dias melhores: “A ideia da Prefeitura em trazer secretarias pra cá foi maravilhosa. Com a chegada do BRT, acredito que também vai melhorar o movimento. Estou otimista”. Às sextas tem música ao vivo, das 18h às 22h. A instalação aérea Lágrimas de São Pedro, assinada pelo artista plástico Vinícius S.A., dá um ar quase lúdico ao largo onde fica o Porto Bahia. 
Funcionamento: 11h às 15h, de segunda a quinta; 11h às 22h, às sextas; 11h às 15h, aos sábados. 

Endereço: R. da Grécia, 165, Comércio
Telefone: 71 3242 - 4831

CAMAFEU DE OXÓSSI 

Camafeu de Oxóssi tem mais de 70 anos

(Foto: Nilma Gonçalves)

Vir a Salvador e visitar o Mercado Modelo faz parte do roteiro de 100 entre 100 turistas. Depois de comprar as lembrancinhas, a ideia é subir no primeiro andar e se deliciar com a moqueca do Camafeu de Oxóssi, restaurante com mais de 70 anos de tradição. Segundo o chef Hugo Calado, que também é sócio do espaço, o prato não é tão carregado no dendê justamente para não causar estranhamento ao paladar dos turistas. A farofa é de manteiga. Formado em gastronomia na Austrália, há cinco anos Hugo assina o cardápio do Camafeu, que de acordo com ele, está sempre mudando. “A culinária do Brasil e da Austrália têm tudo a ver”, garante o chef, que destaca também o pastel de camarão e o mini-acarajé feito na hora. Para sobremesa, a recomendação é a Julieta do Mercado (goiaba recheada com goiabada, acompanhada de sorvete de creme e cavaco). Apesar do perfil essencialmente turístico, Hugo acredita que o soteropolitano deveria visitar mais o Mercado Modelo: “Não damos valor ao que temos aqui”, sentencia. 
Horário de funcionamento - De acordo com o funcionamento do Mercado Modelo: 9h às 18h, de segunda a sábado; 9h às 14h, domingos e feriados

Endereço: 1º piso do Mercado Modelo, Praça Visc. de Cayru, s/n
Telefone: 71 98139-5296
Instagram: @restaurantecamafeudeoxossi

MARIA DE SÃO PEDRO

Maria de São Pedro funciona no Mercado Modelo

(Foto: Nila Gonçalves)

Dividindo espaço com o Camafeu de Oxóssi, o Maria de São Pedro tem quase 100 anos. É um restaurante familiar, que começou com a cozinheira de Santo Amaro que dá nome ao lugar. Depois, veio dona Eunice, e agora o comando fica a cargo de Maria das Graças e suas primas. Três gerações oferecendo os quitutes típicos da Bahia. As moquecas são as mais pedidas, junto com o vatapá. Além da comida, o cliente tem à disposição uma vista deslumbrante na sacada que parece se debruçar sobre o mar da baía. É uma experiência completa para o turista. “Não existe uma vista como essa em nenhum lugar do mundo. O Mercado Modelo resume nossa baianidade”, garante Maria das Graças, há 32 anos no restaurante. “Espero continuar ainda por muitos e muitos anos”, torce, sem, no entanto, deixar de chamar atenção para a falta de segurança no Comércio. 
Horário de funcionamento: 10h às 18h, de segunda a sábado; 10h às 17h, aos domingos. 

Endereço: 1º piso do Mercado Modelo, Praça Visc. de Cayru, s/n
Telefone: 71 3242-5262 
Instagram: @restaurantemariasaopedro

RESTAURANTE TORREMOLINOS

Marcos Almeida é proprietário do Torremolinos, próximo ao Plano Inclinado Gonçalves

(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Fundado em 1991, o Torremolinos é tradicional no Comércio, frequentado por advogados, empresários, comerciantes e políticos. O artista plástico Carybé (1911-1997) era figura frequente por lá. Os pratos típicos são o malassado de filé mignon, o bacalhau, a moqueca cremosa de camarão e o arroz de polvo. Para driblar a crise, foi necessário regrar os gastos com insumos, pesquisar preços e negociar prazos com os fornecedores. Isso tudo sem perder a qualidade, como garante Marcos Almeida, proprietário do restaurante. "Com força e a graça de Deus vai dar tudo certo. Acho que a tradição a gente não pode deixar morrer. Estou com muita dificuldade, mas com todas as forças, para manter ele vivo. Senti muito pelo Colon. Estamos aqui lutando", conta ele. Fica pertinho do Plano Inclinado Gonçalves.

Endereço: Rua Francisco Gonçalves, nº3, Comércio
Horário de funcionamento: 11h30 às 15h, segunda a sexta
Telefone: 71 98876-3676
Instagram: @torremolinosgourmet

COSECHAS 

Colibri Roxo é o suco preferido pelos trabalhadores do Comércio

(Foto: Nilma Gonçalves)

Fugindo do circuito gastronômico, quem passar pelo Comércio e preferir algo mais leve vai encontrar uma variedade enorme de sucos e milkshakes da fruta, no Cosechas. No pequeno e colorido espaço franqueado fica Carol Guerreiro, que junto com o namorado, Cesar Bloisl, decidiu montar a lojinha no Comércio, há cinco anos. “Nossos sucos são refrescantes, saudáveis e saborosos”, garante. O que o pessoal que trabalha nas secretarias e escritórios mais pede é o Colibri Roxo, um suco de frutas vermelhas (morango, amora, blueberry e cranberry). Tem também sucos “bons para o coração”, na sessão “cardiofrutas”. Entrega para toda a cidade.
Horário de funcionamento: 8h às 17h, segunda a sexta

Endereço: R. Miguel Calmon, 10, Comércio
Telefone para pedidos: 71 98838-0437 
Instagram: @cosechascomercio

RESTAURANTE SAVOY 

Torta de tapioca com doce de leite do Savoy é famosa

(Foto: Nilma Gonçalves)

Braço do restaurante localizado no centro de Salvador há quase 35 anos, o Savoy do Comércio é uma empresa familiar, que serve café da manhã e almoço e oferece opções variadas de doces, salgados e tortas. A unidade do Comércio nasceu em 2008, no rastro da promessa de uma repaginada na região. Encontramos o restaurante cheio e dona Rosa Martinez Kruschewsky, a sócia-gerente, correndo para dar conta do caixa. “Nossa principal característica é servir uma comida artesanal, sem conservantes ou receitas industrializadas. É a comida do dia a dia, saudável”, avisa. Além do buffet a quilo (R$59,90), a torta de tapioca com doce de leite faz a alegria dos clientes. Segundo o site do restaurante, ‘É a torta de tapioca mais famosa de Salvador’. “O apreço pela torta já passa de pai para filho e para neto”, endossa dona Rosa. 

Endereço: Rua Miguel Calmon, 104, Edf. Portugal, Térreo, Comércio
Telefones: 71 3243-4333 / 3322-2918 / 99978-1784 / 99974-8537
Horário de funcionamento: 7h30 às 17h, segunda a sexta. 
Instagram: @savoyrefeicoes

RESTAURANTE LISBOA 

O Lisboa funciona desde 2007

(Foto: Nilma Gonçalves)

O espaço moderninho chama atenção de quem passa pela Rua Portugal. Funcionando desde 2007, recentemente o restaurante foi reformado pelo arquiteto Éraldi Peterson, que é também um dos donos. Mas quem está lá no dia a dia mesmo é seu pai, Jorge Fonseca, com a simpatia típica dos devotos de São Jorge. O santo estampa a tela do celular, que ele faz questão de mostrar: “Conhece esse aqui?”, pergunta. “Salve Jorge!”. Os carros-chefe, além do sorriso largo de seu Jorge, são o filé com fritas e o malassado. Mas ele indica também o cuscuz e a carne do sol com aipim, além dos regionais moqueca, mocotó e sarapatel, que saem aos sábados, e vão muito bem acompanhados de uma cervejinha gelada. Os pratos são servidos a la carte. Para seu Jorge, o soteropolitano precisa andar mais pelo centro da cidade, “principalmente no fim de semana”. 

Endereço: R. Portugal, Comércio
Horário de funcionamento: 8h às 17h, segunda a sábado
Telefones: 71 3327-2165 / 99304-3488
Instagram: @restaurantelisboa_

RESTAURANTE DO JUAREZ 

Juarez funciona desde 1955

(Foto: Tiago Sampaio/Divulgacão)

A casa simples é um reflexo da simplicidade do dono atual, Noel Torres de Freitas, que faz parte da terceira geração à frente do tradicional estabelecimento. Mas, não se engane. Ali você vai provar o delicioso filé do Juarez, famoso não apenas no Comércio, mas em toda a cidade. Há quem diga que até internacionalmente, uma vez que condes e príncipes já provaram o prato criado por Juarez, cozinheiro que dá nome ao restaurante e que virou um dos donos. O espaço foi erguido originalmente no antigo Mercado do Ouro, em 1955, por Luiz Miranda Formigli. O tempo passou, o restaurante mudou de lugar, mas o sabor do filé continua o mesmo, garante Noel. Por lá, também passaram nomes como o rei do baião, Luiz Gonzaga, os baianos Gilberto Gil e Wagner Moura e a atriz Giovana Antonelli. Antônio Carlos Magalhães nunca foi, mas mandava o motorista buscar e chegava a levar o filé para Brasília. Sem querer desfazer das personalidades famosas, Noel afirma que os clientes do dia a dia são os mais importantes. Tanto é que sair do Comércio está fora de cogitação: “Até para mudar os móveis eu encontro resistência, porque os clientes antigos não querem, dizem que é bom como está. Fico comovido”, conta. “Já tive até proposta para ir para Orlando, mas daqui eu não saio”. Para chegar à consistência perfeita, a carne é frita a uma temperatura bastante alta, o que mantém a umidade e suculência do filé. Essa é só uma dica, porque o maior segredo, ele não entrega. A receita, inclusive, já foi patenteada. São 300 gramas de filé, servidos com feijão de caldo, arroz, farofa e salada de tomate com batata cozida. Atendendo a pedidos de não costuma ir ao Comércio, o restaurante ganhou uma filial no supermercado GBarbosa da Avenida ACM. 

Endereço: Travessa Frederico Pontes, 1, Comércio (ao lado do Antigo Mercado do Ouro).
Horário de funcionamento: 11h30 às 15h, segunda a sábado
Telefone: 71 99922-5298
Instagram: @restaurantejuarez

RECANTO DO GINO 

Turistas adoram cachaças do Bar do Gino

(Foto: Nilma Gonçalves)

O bar, que fica entre o pé do Elevador Lacerda e a Igreja da Conceição da Praia, é uma das preciosidades do Comércio. Há 46 anos, Igino Gonzaga, ou melhor, seu Gino, é o guardião de mais de 5 mil rótulos de cachaças e bebidas diversas, de todo tipo, sabores e gradação alcoólica. “Tem cachaça aqui do ano de 1853, conhaque que saiu de linha e cachaça que custa mil reais”, ressalta. Os destaques são o cravinho, a cachaça Gabriela e o jatobá, todos produzidos em Irará, interior da Bahia. “Os gringos adoram e ainda levam”, diz. Para acompanhar a ‘marvada’, ele sugere porções de requeijão, salame, calabresa ou carne de fumeiro. Mas vá também pelas histórias. Seu Gino tem muitas para contar. 

Endereço: Rua da Conceição da Praia, 2, Comércio
Telefone: 71 99946-1951
Funcionamento: 11h30 às 15h, segunda a sábado

RESTAURANTE SAVEIRO

O Saveiro fica na Avenida Estados Unidos

(Foto: Divulgação)

Localizado em uma das esquinas da Avenida Estados Unidos, a arquitetura antiga do restaurante já é um convite. Lá dentro, o cliente encontra um buffet variado de comida, que vai da salada, passando pelo prato principal, com proteínas e massas, chegando às sobremesas. Tudo com bastante qualidade e cuidado na apresentação. O pudim brilha de tão bonito. O quilo custa R$ 79,90. Vá cedo, porque o negócio é disputado. 

Endereço: Avenida Estados Unidos, 341, Comércio 
Funcionamento: 11h às 15h, segunda a sexta
Telefone: 71 9736-1616
Instagram: @saveirorestaurante

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas