Temporada de cruzeiros é aberta em Salvador e anima a economia

turismo
07.12.2021, 19:13:00
Turistas desembarcam em Salvador (Foto: Paula Fróes/ CORREIO)

Temporada de cruzeiros é aberta em Salvador e anima a economia

De dezembro até abril, 64 navios passarão pela capital baiana com 253 mil pessoas

O primeiro dos 64 navios turísticos que vão atracar no Porto de Salvador até abril de 2022 e irão trazer 253 mil pessoas chegou à capital baiana nesta terça-feira (7). E com ele, mais de quatro mil turistas animados para desbravar a cidade nas quatro horas disponíveis para curtir. Tempo suficiente para movimentar o comércio e animar quem depende do turismo para sobreviver. 

Enquanto estão rodando por Salvador, os passageiros de navios fazem o dinheiro circular para diversos serviços da economia soteropolitana. De acordo com Maurício Bacelar, titular da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), cada turista destes cruzeiros gasta em torno de 100 dólares por aqui. Na conversão atual, o valor fica em R$ 561. 

O empresário Kaio Perez, 32 anos, veio para a cidade pela primeira vez e é mais um em meio a tantos prontos para realizar um verdadeiro tour. “Quero conhecer, principalmente, o cartão postal de vocês, o Farol da Barra, para tirar uma foto. Ainda não sei tudo, mas devo andar aqui por essa região do Pelourinho e ir me deslocando”, contou.

Kaio veio passear com a filhinha (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Para fazer esse possível deslocamento, taxistas e motoristas de aplicativos estavam a postos para lucrar com o fluxo de pessoas do navio MSC Seaside, originário do Rio de Janeiro. Um deles era Alberico de Santana, 71 anos. “Quando tem um navio aqui, sempre venho. Na rua, é mais difícil. Aumentam as corridas e, às vezes, pegamos umas que valem por duas ou três. Tô na esperança que seja assim hoje”, afirmou. 

Outra animada era Rosânia Saback, 57, guia de turismo. Ela espera um aumento da demanda pelos seus serviços em relação ao da temporada de 2019/2020. “A expectativa é boa e estamos aqui como guia para abraçar esse momento de retomar. A cidade tá bonita, turistas doidos para conhecer e espero aumentar a renda em 20%”.

Rosânia está otimista com o início da temporada

(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

A chegada do navio é sinônimo de vendas para quem trabalha direta ou indiretamente com o turismo. Sabendo disso, a ambulante Luzinete de Santana, 50, investiu na compra de cangas para vender aos visitantes. “O navio chega 12h, mas cheguei às 10h só de ansiedade. Fui uma das primeiras e tô muito feliz, é uma boa oportunidade pra vender. Do dinheiro investido, quero o dobro”, deu o recado.

Compras
Se depender dos turistas, as vendas vão mesmo disparar. Os empresários Carlos Adriano, 46, e Gilvana Borges, 64, não pretendiam voltar ao navio de mãos abanando. “Vou só ao Pelourinho pelo tempo curto, mas vou garantir as lembranças com certeza. Pode ser lá ou no Mercado Modelo”, comentou ele, lamentando o pouco tempo na cidade. 

O marido de Gilvana, Adalto Borges, 64, vai pelo mesmo caminho. “Amo Salvador, sempre passamos por aqui, mas não vamos deixar de levar alguma coisa, além de comer em um restaurante bacana”, acrescentou.

Adalto e Gilvana também aproveitaram Salvador

(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Já a funcionária pública Renata Ribamar, 39, prometeu pesquisar bastante antes de fazer alguma compra. “A gente tem que ficar perto, infelizmente, pois não temos muito tempo. Mas vou ver com carinho se dá pra levar presente pra quem ficou para trás”.

Renata disse que iria buscar por lembranças (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Para incentivar a volta dos visitantes com mais tempo no futuro, a Setur realizou um ato receptivo com roda de samba e capoeira no Terreiro de Jesus, no Pelourinho. Maurício Bacelar explicou mais sobre o porquê da ação. “Os cruzeiros funcionam como uma vitrine para que os turistas conheçam e, em outro momento, voltem com mais tempo à cidade, ficando três ou quatro dias. Então, é fundamental causar uma boa impressão. Quanto melhor a recepção, maior é a possibilidade do retorno”, lembrou o titular da Setur.

Secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Fábio Mota festejou a chegada dos turistas na capital. “Salvador é uma cidade que tem uma dependência muito grande do turismo. As pessoas consomem, em média, R$ 500. É um ticket médio alto que ajuda a dinamizar a nossa economia e, evidentemente, a consagrar a retomada do turismo”. 

Para receber os visitantes, vale lembrar, uma série de protocolos sanitários foram elaborados pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), com base em orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre eles estão a ocupação máxima de 75% por cada embarcação, distanciamento social e uso de máscaras. Outras medidas obrigatórias são apresentação da caderneta de vacinação completa, laudo de exame PCR em até 72h antes da viagem ou de antígeno com 24h de antecedência.  

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas