'Tenho medo de mandar meu filho à padaria', diz moradora do Barro Duro após mortes

salvador
13.06.2018, 14:18:00
Atualizado: 13.06.2018, 14:29:40

'Tenho medo de mandar meu filho à padaria', diz moradora do Barro Duro após mortes

Populares fizeram manifestação nesta quarta após três jovens serem executados
Caroline participou de protesto após morte de moradores no Barro Duro (Foto: Milena Teixeira/CORREIO)

Caroline** não dorme há três dias. Também não vai trabalhar. Trocou a função de operadora de caixa pela de vigia. Ela ouviu quando o genro e mais dois vizinhos morreram nos últimos três dias. E, agora, passa o dia em casa atenta. Hoje, qualquer barulho soa como um tiro.

"Como é que dorme aqui? Meu neto, de cinco anos, praticamente viu o pai morrer. Ele está em pânico e fica gritando de noite. Inho [genro] tinha passagem, mas estava ajeitando a vida, trabalhando na Ceasa [de Simões Filho] todo dia pra dar comida ao filho", diz ela.

A morte de Inho, identificado como Uenderson Gabriel de Oliveira, faz parte de uma onda de violência que atinge Salvador e Região Metropolitana desde sábado (9), quando o policial militar Gustavo Gonzaga da Silva, 44, foi morto no bairro de Santa Cruz, no Complexo do Nordeste de Amaralina.

 Moradores fizeram protesto, quando queimaram materiais e fecharam via (Foto: Milena Teixeira/CORREIO)

Na manhã desta quarta-feira (13), Caroline e vizinhos no Barra Duro, local onde ocorreram os crimes, fizeram uma manifestação contra a violência na região, que teria a participação de policiais. O ato começou às 8h, na BR-536, próximo ao bairro de São Cristóvão. No ato, que é o segundo da semana, moradores atearam fogo em pneus e madeira.

"Enquanto a 'chocolate' e a Peto descer a comunidade pra matar gente, nós vamos protestar. Eu estou pedindo socorro, porque não estou conseguindo viver. Entendo que a polícia está trabalhando, mas nem todo mundo é bandido. Eu tenho medo até de mandar meu filho à padaria", disse a dona de casa Gabriela**, que também participou da manifestação.

Chocolate é o apelido da viatura da Rondesp. E quem diz isso é o pequeno G.I.S, de 10 anos. Segundo ele, quando a "chocolate" passa pela rua, todo mundo fica com medo. "Antes eu ia comprar pão, mas minha mãe não deixa mais. Depois de 18h, a gente não sai mais", conta ele. 

O protesto acabou por volta das 10h, quando viaturas da polícia chegou no local. A assessoria da Polícia Militar informou que, na manhã desta quarta, guarnições foram descoladas para desobstruir as vias.

Final de semana mais violento
O final de semana de 9 e 10 de junho foi o mais violento do ano. Foram registrados, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), 29 homicídios entre 0h de sábado e domingo. Além das mortes, foram registradas também outras três tentativas de assassinato.

"A determinação da Secretaria da Seguranaça Pública é sufocar o tráfico de drogas local e continuaremos 24h no bairro patrulhando". A frase é do comandante da Rondesp Atlântico, major Edmundo Assemany, que se refere às regiões da Santa Cruz e Nordeste de Amaralina, onde o cabo Gustavo Gonzaga da Silva foi torturado e morto na sexta-feira (8).

A SSP investiga se a onda de violência em Salvador e RMS no último fim de semana foi uma retaliação pela morte dele e de outro PM na semana passada. Um dos suspeitos de participar da morte do cabo Gonzaga é o traficante Antônio Caíque Santos Oliveira, 25 anos, braço direito do chefão da facção Comando da Paz (CP), liderada por Val Bandeira. 

De acordo com o titular da pasta, secretário Maurício Barbosa, a SSP investiga até mesmo a possibilidade de ação de um grupo de extermínio. Em entrevista ao CORREIO, ele destacou que foi um fim de semana ‘atípico’ – especialmente por sair de uma sexta-feira (8) em que não houve nenhum assassinato para registrar 17 no dia seguinte. 

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier.
**Nomes fictícios.


Relacionadas
Correio.play
Empate com Corinthians manteve o Vitória na porta da zona de rebaixamento
Ler Mais
Segundo turno das eleições ocorre no próximo dia 28 de outubro
Ler Mais
Além disso, 455 pessoas foram conduzidas para depoimentos e outros 266 apreendidos
Ler Mais
Confira seis projetos que apoiam pacientes com câncer de mama em Salvador
Ler Mais
Cartão contém os dados do estudante, o endereço do local, a data e hora da aplicação da prova,
Ler Mais
Veja dicas para manter sua reputação profissional nas redes sociais sem deixar de expor suas ideias
Ler Mais
Especialistas em empreendedorismo dão dicas de como definir metas, estudar o cenário e desenvolver um bom planejamento pensando no ano que vem
Ler Mais
Estilo Montessoriano favorece o desenvolvimento da criança desde os primeiros anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/apos-video-eduardo-bolsonaro-diz-que-nunca-defendeu-fechar-stf/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bolsonaro-se-alguem-falou-em-fechar-o-stf-precisa-consultar-psiquiatra/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/desinformacao-deliberada-ha-de-ser-combatida-diz-rosa-weber/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/fhc-diz-que-declaracoes-de-filho-de-bolsonaro-cheiram-a-fascismo/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/basta-um-soldado-e-um-cabo-para-fechar-stf-disse-filho-de-bolsonaro/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/tse-prepara-anuncio-de-medidas-de-combate-as-fake-news-neste-domingo/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/startups-do-desafio-acelerese-mostrarao-o-quanto-evoluiram-em-12-semanas/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/espetaculo-do-mundo-bita-chega-a-salvador-cheio-de-novidades/