The Walking Dead perde posto e não entra em lista de séries mais assistidas dos EUA

entretenimento
07.03.2018, 14:00:00
Série fica de fora da lista que recebe nomes como This Is Us (Foto: Divulgação)

The Walking Dead perde posto e não entra em lista de séries mais assistidas dos EUA

Confira o ranking com o top 10 de séries mais vistas nos canais de TV americanos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os canais americanos divulgaram as atuais pontuações de audiência para as séries que veiculam. Com as novas informações, o ranking das 10 tramas mais assistidas da TV nos EUA foi reformulado para o mundo. Nomes como The Big Bang Theory, que ocupa o primeiro lugar da lista (alcançando, ainda, a inclusão do seu spin-off, Young Sheldon), e This Is Us, já são grandes conhecidos do público brasileiro. Já títulos como Game Of Thrones, teriam nítidas chances de inclusão na listagem, mas não foram considerados por não estarem no ar atualmente. Confira a lista:

TOP 10: SÉRIES MAIS ASSISTADAS EM CANAIS (EUA)
Série | Canal | Audiência (número geral por episódio):

The Big Bang Theory • CBS • 14,37 milhões de telespectadores
NCIS • CBS • 13,27 milhões de telespectadores
Young Sheldon • CBS • 12,90 milhões de telespectadores
This Is Us • NBC • 11,29 milhões de telespectadores
Bull • CBS • 10,55 milhões de telespectadores
The Good Doctor • ABC • 9,83 milhões de telespectadores
Blue Bloods • CBS • 9,37 milhões de telespectadores
NCIS: New Orleans • CBS • 8,95 milhões de telespectadores
Mom • CBS • 8,85 milhões de telespectadores
Hawaii Five-0 • CBS • 8,76 milhões de telespectadores

Imagem relacionada

The Walking Dead fora da lista
Uma das grandes surpresas do ranking, no entanto, não foram para os títulos vistos entre os 10, mas sim para grandes crescentes do universo das séries que ficaram de fora, como é o caso da série The Walking Dead, do canal AMC, que resultou em um alcance de 8,41 milhões de telespectadores por episódio. A produção, que era uma das atrações mais vistas da TV norte-americana em 2016, despencou para a 11ª posição no ranking de audiência dos Estados Unidos na atual temporada, ficando logo atrás de Hawaii Five-0. Confira o trailer da primeira temporada de TWD:



A série, que já registrou 17 milhões de telespectadores em um episódio no seu auge, dois anos atrás, mas nesta semana não chegou sequer aos 7 milhões, formulando, assim, a sua pior marca em seis anos. Com dez episódios já exibidos, o oitavo ano de TWD chegou a uma média de público superior apenas à das duas primeiras temporadas, quando ainda não era um fenômeno da cultura pop.

No último domingo (4), o drama zumbi registrou 6,82 milhões de espectadores nos Estados Unidos. Foi a pior audiência de um episódio desde o antepenúltimo da segunda temporada, que atraiu 6,77 milhões. O número pode ser considerado banal para uma atração que já fez frente ao gigante Game of Thrones e disputou lugar com as líderes da lista atual: The Big Bang Theory e NCIS

E o futuro da série?
A trama de Walking Dead tenta encontrar um rumo após a despedida de um dos seus personagens principais. A promessa é que os novos clímax e descobertas, bem como as novas relações entre os personagens, possam salvar a trama nos próximos episódios. 

[SPOILER] De acordo com as palavras do criador de Walking Dead, Robert Kirkman, em conversa com a revista The Hollywood Reporter, publicada na terça (6), embora seja o principal nome da história, Rick é um personagem descartável: "Eu acredito que [Walking Dead] sobreviva sem Rick Grimes", disse o quadrinista. "Ele deve morrer na HQ [na qual a série se baseia]. Quero deixar claro para todos que ninguém está a salvo".

Agora, é aguardar as surpresas para ver as que podem, de fato, cativar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas