Thiago Almasy estreia como diretor em curta gravado no Subúrbio

entretenimento
24.06.2021, 17:40:00
O curta Via Láctea será exibido no canal de Thiago Almasy no Youtube por sete dias (Gabriela Palha/divulgação)

Thiago Almasy estreia como diretor em curta gravado no Subúrbio

Via Láctea aborda questões raciais de alienígenas em meio à pandemia; filme tem lançamento nesta quinta (25), no Youtube

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Alienígenas chegam à Bahia com o objetivo de dominar o planeta quando, prestes a dar início à missão, têm seus planos impactados por um fenômeno global: a pandemia de covid-19. O desfecho de Via Láctea, uma ficção científica dirigida pelo ator baiano Thiago Almasy, do Júnior de Frases de Mainha, pode ser conferido a partir das 19h desta quinta-feira (25), quando estreia no canal do artista no Youtube, plataforma onde permanece em exibição por sete dias.

Escrito por Almasy e pelo também ator Genário Neto, o filme foi rodado em cinco dias de fevereiro, no Alto do Cabrito, Subúrbio Ferroviário de Salvador, e se propõe a discutir questões sociorraciais. A dupla - famosa por interpretar, respectivamente, Júnior e Meire, na websérie Na Rédea Curta -, dá os primeiros passos à frente de uma produção cinematográfica cuja equipe é totalmente baiana e majoritariamente negra. 

O ator Thiago Almasy (divulgação)

“É um filme que lida com o fantástico. A ficção científica e a fantasia têm o poder de usar alegorias para refletir a própria condição humana. É um filme que tem muitas provocações”, diz Thiago, que faz uma pequena participação frente às câmeras. A começar pelo fato de que os alienígenas, que vêm na condição de colonizadores, passam a enxergar sob a perspectiva de pessoas em posições subjugadas. “É uma história que aborda o colonizador entrando no corpo do colonizado e experimentando essas subjetividades, as violências atravessadas por aquele corpo”, completa.

Almasy conta ainda que a obra, que tem cerca de 27 minutos, marca sua estreia como diretor e a amizade de oito anos com Genário Neto, um dos protagonistas do curta. "Em Salvador, a gente tem uma carência grande, que coloca nós, atores, à espera dos trabalhos chegarem. Agora estamos nos capacitando para contar nossas próprias histórias e perspectivas”, afirma, ao lembrar que tanto ele quanto Genário estrearam esse ano nas telonas. Thiago no longa Eu, Empresa (Leon Sampaio e Marcus Curvelo), lançado na Mostra de Cinema de Tiradentes, e Neto na produção Carnaval (Leandro Neri), da Netflix.

Na Rédea Curta: Mainha (Sulivã Bispo) e Júnior (Thiago Almasy) (divulgação)

Para Genário, atuar em Via Láctea foi uma experiência diferente de todas as outras. “Escrever foi um processo rápido, uns quatro dias. Atuar foi complicadíssimo, primeiro porque eu estava fazendo uma coisa que ajudei a construir, depois porque a gente não teve processo de ensaio, preparação, por causa da pandemia. Tentei desapegar um pouco das práticas humanas. Todo o meu movimento interior, de memória e emoção, estava no sentido de que eu precisava pensar em alguma matéria inocente. Porque aquele ser luminoso era bem inocente”, explica o ator.

Logo após a estreia, a partir das 20h, Genário e Thiago comentam o filme em uma live. Na sexta-feira (26), no mesmo horário, Almasy se reúne, também em live, com o elenco do curta. Os eventos virtuais acontecem no perfil @ultimaplataforma, no Instagram.

Em Via Láctea, os extraterrestres não têm a forma de pequenos marcianos verdes, mas de uma luz com consciência que foge à compreensão humana. Eles não podem transitar em matéria, em decorrência das condições atmosféricas, por isso, se hospedam em corpos humanos. Neste caso, em quatro corpos. O de Rosa, a escolhida; o de um mendigo, o conselheiro espiritual, que cuida de Rosa; o de um policial militar, o arquiteto responsável por construir a máquina de terraformação; e um quarto personagem, a ponte, que tem o contato direto entre a terra e a nave-mãe - este deságua num ponto que causa certa reviravolta nos planos.

Com orçamento de R$100 mil, o filme é fruto do Prêmio Conceição Senna de Audiovisual, por meio de edital municipal da Fundação Gregório de Mattos, e incentivo da Lei Aldir Blanc.

Serviço  - Via Láctea | lançamento nesta quinta (25), às 19h | no canal oficial de Thiago Almasy no Youtube | Lives pós-lançamento: quinta (25) e sexta (26), às 20h | Instagram, perfil @ultimaplataforma

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048