Timidez, backstage e holofotes: tudo sobre o #Segundou com Helena Bordon

entretenimento
28.09.2020, 20:33:00
Atualizado: 28.09.2020, 20:35:08
Helena falou ao vivo para Joca Guanaes no Instagram do CORREIO (Foto: Reprodução)

Timidez, backstage e holofotes: tudo sobre o #Segundou com Helena Bordon

Empresária falou da relação com a família, realizações e experiências na Fashion Week de Milão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Da infância e adolescência vivida em bastidores das semanas de moda mais importantes do mundo até a criação da própria marca e protagonismo em uma das semanas de moda mais importantes do mundo e ser eleita como uma das pessoas mais influentes no mercado da moda mundial pela Business Of Fashion. Tudo isso foi tema do programa #Segundou, apresentado por Joca Guanaes e que entrevistou a empresária, modelo e influenciadora digital Maria Helena Bordon Meireles nesta segunda (28), ao vivo no Instagram do CORREIO. 

Helena é filha de Maria Donata Meirelles e de Pedro Bordon Neto, herdeiro de um frigorífico. É enteada do publicitário Nizan Guanaes, casado desde 2002 com sua mãe. As relações com sua família foi uma das pautas do programa. Helena conta que sua mãe se casou com Nizan quando estava na fase de "aborrescência" e que isso gerou atritos com o homem que hoje ela chama de "paidrasto". O tempo foi quem amenizou as coisas e colocou carinho, amor e compreensão mútua no relacionamento.

"Hoje eu nem consigo chamar o Nizan de padrasto. É uma palavra que não gosto. Ele é meu segundo pai, um gênio da publicidade e uma pessoa que admiro muito", disse. 

Desde muito cedo Helena respira moda. Sua mãe é uma das profissionais mais renomadas no mercado da moda brasileiro, com mais de 30 anos de uma carreira que começou como vendedora da Daslu em 1989. Helena convivia na loja e desde a infância brincava que teria a sua própria marca - algo que se realizou há cinco anos após uma série de experiências nos bastidores da moda.

"Minha mãe influenciou e muito a minha escolha pela moda. Quando eu fiz 18 anos estava em uma época meio rebelde em que eu dizia que não queria fazer o mesmo que meus pais e ir para outros mercados. Mas não deu, a moda é realmente o que amo e gosto de fazer, tanto que estou aqui até hoje", disse. 

Backstage e holofotes
Morando em Nova York, Helena foi estagiária de Relações Públicas na marca Valentino e foi lá onde teve um de seus maiores baques e maiores aprendizados na carreira. A marca tentava emplacar o vestido de uma atriz que concorria ao Oscar. Helena não revelou quem era a superstar, mas conta que sentia que estava tudo certo para que ela utilizasse o vestido da Valentino na premiação.

A atriz fez várias provas, deixou todos os ajustes alinhados, mas na hora H, no dia da premiação, ela apareceu com uma roupa de outra marca, concorrente da sua empresa.

"Foi um baque, eu não acreditava naquilo que aconteceu, mas foi aí que entendi que não bastava estar tudo certo. É preciso ter proximidade com os agentes da pessoa, com a própria pessoa para aí sim conseguir emplacar algo tão grandioso", explicou.

Os anos de backstage foram passando e pouco a pouco a it-girl foi passando para holofotes. Em 2013, foi considerada pela Business of Fashion(um dos sites mais influentes da indústria) como uma das personalidades mais influentes da moda. "Acho que 'uau' é a palavra que melhor descreve o que senti. Foi quando eu vi que as pessoas estão me vendo, que respeitam meu trabalho", disse antes de completar que essa eleição a motivou a seguir com mais e mais ambição.

Os holofotes seguiram na brasileira, que por dois anos seguidos foi convidada para desfilar na passarela da Fashion Week Milão pela Dolce Gabbana. "Foi algo semelhante ao que senti com o Business of Fashion. Uma marca que admiro muito, que sou cliente, estava me chamando para ser uma das suas caras. Eu estava ali mostrando a Dolce Gabbana para o Brasil", disse. 

O primeiro desfile, em 2017, deu muito nervosismo na brasileira, que diz ser uma pessoa muito tímida e reservada. Para Helena, estar em uma passarela é muito diferente de estar presente em redes sociais como o Instagram, onde tem mais de um milhão de seguidores.

"Nas redes sociais você mostra o que quiser, claro que sempre com transparência, mas é muito diferente de estar na passarela", disse. Às vésperas do primeiro desfile, ela conta que teve medo de fazer algo errado, de dar algum problema com o salto, mas nada disso aconteceu. Foi só comemoração. A Dolce Gabbana gostou e a convidou novamente no ano seguinte em desfile que também teve as brasileiras Marina Ruy Barbosa e Bruna Marquezine na passarela.

Marca própria
Maria Helena começou a estudar administração na FAAP, mas não chegou a concluir o curso. Antes disso, passou dois anos em Londres e também teve a temporada em Nova York. Na volta ao Brasil, não concluiu o curso porque não conseguiu conciliar as atividades com o lançamento da sua grife, a 284, em conjunto com Luciana, Marcella e Dinho Tranchesi, filhos de Eliana Tranchesi, dona da mesma Daslu que sua mãe trabalhara.

O seu atual projeto é a marca Helena Bordon, que nasceu da vontade de poder criar produtos 100% desenhados e escolhidos pela própria Helena. Em cinco anos, pulou de 8 para 20 modelos de óculos com diversas variações, cada um com uma personalidade e mensagem diferente. Todos são feitos no Brasil e finalizados à mão.

Relação com a Bahia
Enteada de Nizan, Helena não esconde que seu padrasto deu um empurrãozinho para plantar o amor pela Bahia. Por aqui, ela conta que se sente em casa, principalmente quando está na capital Salvador ou em Trancoso, no sul do Estado.

"Ainda quero conhecer vários lugares, mas em Salvador e Trancoso eu me sinto confortável, me sinto em casa", disse na live.

Na próxima edição do Segundou, Joca Guanaes vai entrevistar a chef de cozinha Morena Leite. O programa vai ao ar às 19h.

Confira o bate-papo desta segunda (28) na íntegra:

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas