Tite comenta VAR que anulou dois gols do Brasil: 'Justiça'

esportes
19.06.2019, 00:16:19
Tite eximiu o VAR de culpa no empate brasileiro (Juan Mabromata/AFP)

Tite comenta VAR que anulou dois gols do Brasil: 'Justiça'

Para técnico, Seleção sofreu com ansiedade e se precipitou contra a Venezuela

O técnico Tite não lamentou a influência do VAR (auxiliar de vídeo) no empate em 0x0 da Seleção Brasileira com a Venezuela nesta terça-feira (18) na Fonte Nova. Pelo contrário: reforçou a importância da ferramenta.

"Justiça, apenas isso. Estava impedido (Firmino, nos dois últimos gols)? Sim, estava. Foi falta (de Firmino no primeiro gol)? Sim, foi falta. Então a justiça foi feita. Se eu estivesse do outro lado estaria como? Então nada a reclamar", disse.

O técnico reconheceu que a equipe ficou devendo: "Não teve a criatividade que buscamos. A pressa foi um pouco demais, ansiosa demais. Isso ficou traduzido em algumas jogadas em que se apressou o passe vertical. Além do número de finalizações imprecisas, foi muito grande. Então nesse ponto temos que melhorar".

Em relação à torcida baiana, que apoiou durante os 90 minutos mas vaiou no apito final, Tite foi compreensivo: "Temos que compreender o torcedor. Ele quer ver gol, quer ver o time jogando bem. Se eu estivesse lá na arquibancada também gostaria".

Um desses momentos de impaciência da torcida foi no momento da entrada de Fernandinho no lugar de Casemiro. Quando foi chamado do banco por Tite, o volante foi recebido com vaias pela Fonte Nova.

Tite reforçou que não leva em consideração as vaias da torcida na hora de fazer uma substuição. "Se isso pesasse eu não o colocaria (em campo). O atleta tem que trabalhar sob pressão. Todos eles têm o meu apoio. Nós, da comissão técnica, temos que ter o discernimento de saber que tínhamos um volante com amarelo (Casemiro) e ele (Fernandinho) ainda tem a melhor saída de bola. Se ele fizesse o gol num cabeceio que teve não teria nada disso agora", afirmou.

Por fim, Tite falou o que espera da equipe na sequência da Copa América. A Seleção enfrenta o Peru no sábado (22), às 17h, na Arena Corinthians. A equipe treina no Barradão na tarde desta quarta-feira (19) e depois embarca à noite para São Paulo.

"Contundência. Efetividade. Traduzir o domínio em gol é fundamental. Nossa precisão foi muito abaixo. Nosso time se precipitou demais nos passes e nas finalizações. Nessas circunstâncias de domínio você tem que botar o goleiro para trabalhar, e a gente não o fez", concluiu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas