Tite diz que há preconceito contra técnico negro: 'Devemos lutar'

esportes
06.10.2021, 16:49:00
Técnico Tite e o auxiliar César Sampaio durante a entrevista coletiva (Reprodução/CBF TV)

Tite diz que há preconceito contra técnico negro: 'Devemos lutar'

Treinador repercutiu declaração de Marcão, do Fluminense, único treinador negro do Brasileirão

Técnico da Seleção Brasileira, Tite concordou: há, sim, preconceito estrutural contra treinadores negros no futebol. A declaração aconteceu nesta quarta-feira (6), na entrevista coletiva de véspera do jogo contra a Venezuela, pelas Eliminatórias da Copa.

O assunto foi colocado em pauta após uma entrevista de Marcão, comandante do Fluminense, à Folha de S. Paulo. Na conversa, o técnico falou sobre a ausência de figuras negras à frente das equipes. Marcão, aliás, bateu recorde de invencibilidade no Brasileirão pelo tricolor carioca, superando marca de Muricy Ramalho, em 2010.


Tite afirmou que o preconceito deve ser combatido. E, inclusive, elogiou nominalmente outro treinador negro, Roger Machado, ex-Bahia e que, recentemente, esteve no Fluminense.

"Eu luto e lutei a minha vida toda contra a minha ignorância. Procurar ler, aprender e estudar. E contra a hipocrisia, brincar de faz de conta. Prefiro não responder quando não quero. Há sim um preconceito estrutural. O que posso dizer é que tenho um respeito muito grande. Um dos principais atletas que já trabalhei chama-se Roger Machado. Pela conduta, momentos bons e difíceis. Devemos lutar contra sim, pois há um preconceito em relação ao técnico negro", disse Tite.

Ao lado do treinador da seleção brasileira na coletiva, estava o auxiliar César Sampaio, que é negro. Ele também comentou o tema. "Como o Tite bem disse, na história do Brasil e do mundo nós negros fomos cerceados de alguns direitos em todos os sedimentos. O mundo, com avanço tecnológico e a globalização, trouxe à tona alguns absurdos. Infelizmente é assim. Mais do que posicionamento, são atitudes. Eu me sinto muito feliz em ocupar esse espaço", falou.

"Falo para a classe negra em geral que possa lutar. Esse espaço não tem cor, credo e raça. Todo aquele capaz deve ocupar. Mais do que falar, a gente tem trabalhado muito para isso", completou Sampaio.

Na entrevista à Folha, Marcão mencionou a necessidade de capacitação para o mercado, mas questionou a falta de oportunidades. 

"Vejo vários treinadores que são negros, altamente capacitados, sem oportunidade ou que não recebem a chance que muitos têm. Por isso, digo que meu clube é maravilhoso. O Roger esteve aqui, mas isso precisa tocar mais os outros clubes, também. Não é pela cor da minha pele que devo ser excluído ou colocado. Olharam para mim e me viram capaz".

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas