Tite reclama da cultura e do calendário do futebol no Brasil

esportes
09.10.2019, 10:33:00
Atualizado: 09.10.2019, 10:47:00
Entrevista coletiva de Tite foi recheada de críticas (Pedro Martins / MowaPress)

Tite reclama da cultura e do calendário do futebol no Brasil

Técnico da Seleção confirmou a escalação que enfrenta Senegal

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A entrevista coletiva do técnico Tite na véspera do amistoso da seleção brasileira contra Senegal, marcado para quinta-feira (10) em Cingapura, foi recheada de críticas. O treinador reclamou da organizadora do jogo, lamentou problemas no calendário nacional e também da cultura do futebol brasileiro.

Para os compromissos contra Senegal e Nigéria, este no próximo domingo (13), Tite convocou oito jogadores de clubes nacionais. O chamado provocou críticas ao treinador por desfalcar times que participam do Campeonato Brasileiro. O técnico, então, garantiu que não mudou seu posicionamento em relação ao período em que dirigia clubes e defendeu que as competições deveriam ser paralisadas, criticando o calendário da CBF.

"Quando a Seleção joga não tinha que ter jogo de time. Continuo convicto. Isso para mim não vai mudar ao longo do tempo. Eu faço as convocações e faço com bastante pesar. Porque eu não queria. Continuo com a mesma opinião. Eu sei que o Manoel Flores (diretor de competições da CBF) está tentando ajustar. Mas vocês sabem mais do que eu. E não quero entrar nestes aspectos. Mas esse problema aconteceu com quase todos os clubes. Eu tenho isso claro e continua igual", afirmou.

Já ao ser questionado sobre a recente demissão de Sylvinho, que foi seu auxiliar na seleção, do comando do Lyon, Tite disparou contra a cultura do futebol brasileiro. O treinador reclamou do clima de constante pressão e lembrou que invasões de centro de treinamentos por torcedores, com intimidações a jogadores e comissões técnicas, vêm se tornando rotineiras.

"Tem algumas diferenças da Europa, mas o nível de pressão no Brasil é muito alto. Não concebo no Brasil que parece que não ganhar um jogo é crime. Proporciona invasão de treino a toda hora. Eu me sinto envergonhado em relação a isso", disse.

Tite também não poupou a Pitch, organizadora dos amistosos da Seleção. Ele reclamou a que a equipe não pôde treinar no Estádio Nacional de Cingapura, palco do amistoso contra Senegal.

"O que mais me deixou chateado foi a falta de respeito da Pitch com a seleção brasileira e a de Senegal por não trabalharmos no campo de jogo. Isso me deixou descontente. Atletas de alto nível merecem respeito maior, a oportunidade de treinar no campo de jogo. O campo que treinamos não é o ideal, não nos atende", comentou.

O duelo será disputado a partir das 9h (de Brasília), na quinta. E Tite confirmou a escalação do Brasil com: Ederson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Neymar e Roberto Firmino.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas