Todas as participações de times nordestinos na Série A desde 2003

esportes
27.02.2021, 06:05:00
Atualizado: 12.03.2021, 22:17:13
Nove equipes nordestinas disputaram a Série A na era dos pontos corridos (Montagem em foto de Lucas Figueiredo/CBF)

Todas as participações de times nordestinos na Série A desde 2003

Sport é o recordista em aparições no Brasileirão de pontos corridos; Bahia e Vitória estão em segundo

A edição 2020 do Campeonato Brasileiro acabou, com emoção até o fim. Disputado, o torneio só conheceu na 38ª rodada seu campeão e o último dos quatro participantes que foram rebaixados. O Flamengo desbancou o Internacional e conquistou o bicampeonato. Já Vasco, Goiás, Coritiba e Botafogo caíram para a segunda divisão.

O cruz-maltino, aliás, disputava com o Fortaleza a permanência na rodada final. Mas a missão era difícil: tinha que vencer seu respectivo jogo, contra o Goiás, torcer por uma derrota do time cearense e ainda tirar uma diferença de 12 gols de saldo. Nem mesmo o técnico Vanderlei Luxemburgo acreditava na permanência.

Dessa forma, ficaram definidos todos os 20 clubes que vão disputar a Série A em 2021, a partir de 30 de maio. Mais uma vez, serão quatro nordestinos no páreo: Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport. Aliás, será a quarta edição seguida que a região será representada por quatro equipes. Desde que a competição passou a ser disputada no formato por pontos corridos, na temporada 2003, esse foi o número máximo já alcançado. Representa 20% dos participantes.

Com a permanência, o Esquadrão chegará ao seu 10º ano na elite do futebol em pontos corridos, igualando o número de participações do Vitória. O tricolor estava em 2003, quando foi adotado o atual modelo, e terminou na última posição. Só voltou à Série A em 2011 e lá ficou até 2014, quando caiu de novo. Em 2017, reapareceu na primeira divisão e assim seguirá em 2021.

Com o quinto ano consecutivo garantido, o Bahia quebrou o seu próprio recorde e se igualou ao Sport como time nordestino que disputou a Série A de forma ininterrupta por mais tempo na era dos pontos corridos.

O Vitória, por sua vez, participou da primeira divisão em 2003 e 2004, ano que caiu. Retornou em 2008 e ficou até 2010. Depois, fez uma terceira passagem em 2013 e 2014, mas foi rebaixado de novo. Entre 2016 e 2018, competiu novamente na elite e, mais uma vez, não conseguiu impedir a queda.

No ranking dos times do Nordeste com mais aparições na Série A, a dupla Ba-Vi está junta na segunda colocação. O líder é o Sport, que fará em 2021 sua 11ª temporada na primeira divisão desde 2003. Caso o Vitória tivesse subido, empataria com o pernambucano nesse quesito. O rubro-negro baiano, porém, ficou longe do acesso: terminou a Série B de 2020 na 14ª colocação.

Desde 2003, nove equipes nordestinas marcaram presença na principal divisão do futebol nacional. Além de Bahia, Vitória e Sport, disputaram o torneio o Ceará, Fortaleza, Náutico, Santa Cruz, CSA e América-RN. Dessa forma, apenas cinco estados integraram a Série A - Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Sergipe, Paraíba, Piauí e Maranhão ainda não tiveram representantes na era dos pontos corridos.

Os clubes do Nordeste, aliás, nunca conquistaram uma vaga na Libertadores pelo Brasileirão de 2003 para cá. O Vitória chegou perto em 2013, quando terminou em quinto lugar. Naquele ano, porém, só quatro clubes conseguiram a vaga. Em 2019, foi a vez do Fortaleza bater na trave: acabou em 9º, e os oito primeiros avançaram ao torneio continental.

Em 2009, o Sport participou da Libertadores, mas a vaga veio por ter sido o campeão da Copa do Brasil de 2008 e não pelo Campeonato Brasileiro. O Bahia disputou três vezes a competição continental, sendo a última em 1989, antes dos pontos corridos na Série A. O mesmo caso do Náutico, que esteve na Liberta em 1968, e do próprio Sport, que já havia competido em 1988.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas