Tom Cruise brinca com o perigo mais uma vez em Feito na América

entretenimento
14.09.2017, 06:12:00

Tom Cruise brinca com o perigo mais uma vez em Feito na América

Na trama dirigida por Doug Liman, em que Tom Cruise vive um agente triplo, é baseada numa história real

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Tom Cruise é viciadão em adrenalina. Tanto que dispensa dublês na maioria das cenas de ação, enfrentado ele próprio o perigo permitido por seus diretores. Afinal, o ator já cinquentão ainda tem uma das presenças mais marcantes do cinema - e, claro, rende boas fortunas para Hollywood. Acontece, porém, que o velho Tom já não emplaca um filmaço há tempos. Continua, sim, fazendo suas estripulias com o charme habitual, mas empolgar que é bom...

Há pouco tempo em cartaz com o decepcionante A Múmia, primeiro passo da Universal para o seu chamado Dark Universe, Cruise nem deixou a gente esquecer aquele sorrisão para voltar com Feito na América,  filme baseado na história real do piloto Barry Seal. O longa é dirigido por Doug Liman, que já havia trabalhado com Tom Cruise em No Limite do Amanhã (2014) e assina sucessos como Identidade Bourne (2002) e Sr. & Sra. Smith (2005).

A trama se passa nos 80, quando Seal atuava como piloto de voos comerciais, sustentando a família honestamente. Ok, ele transportava caixas de charutos cubanos por debaixo dos panos. Quando pensou que o máximo que iria enfrentar de perigo eram turbulências e os tais contrabandozinhos, recebe uma proposta tentadora do agente da CIA Monty Schafer (Domhnall Gleeson): transportar armas para aliados dos Estados Unidos.

Ele não só aceitou a oferta, como foi pego por acidente pelos compadres de Pablo Escobar. Armas na cabeça, gritos de “matem o gringo”... E não é que o cara conseguiu dar a volta no próprio chefão do cartel de Medellín, tornando-se um dos seus pilotos de confiança? Quilos de cocaína depois, muito dinheiro na mão, Seal começa a trabalhar também para a DEA, órgão de controle e repressão a narcóticos dos EUA. 

 Piloto experiente e com licença para voar desde meados dos anos 90, Cruise é dono de cinco jatos privados e aproveitou para colocar seu conhecimento em prática, pilotando em algumas cenas fundamentais.  “Ele não acredita em efeitos, por isso que as cenas de ação nos filmes dele são tão visuais e espetaculares”, explica Doug Liman. Tom Cruise completa dizendo que não pretendia mostrar Barry Seal como herói ou vilão: “Eu não apoio e não concordo com tudo que ele fez, mas é inevitável o fascínio que existe em sua figura.”


Horários de exibição:

 UCI Orient Shopping da Bahia 7 (leg)  20h20  UCI Orient Shopping da Bahia 9 (dub)  13h30 | 16h | 18h30 | 21h  UCI Orient Shopping Barra 2 (leg)  13h40 | 16h10 | 18h40 | 21h10  UCI Orient Shopping Barra 7 (leg)  19h35 | 22h  UCI Orient Shopping Paralela 6 (dub)  13h10 | 15h35 | 18h | 20h40 (leg)  Orient Shopping Center Lapa 2 (dub)  13h30 | 17h50 | 20h  Cinesercla Cajazeiras 1 (dub)  14h20 | 16h30 | 18h40 | 20h50  Cinépolis Bela Vista 1 (dub)  17h40 | 20h20  Cinépolis Bela Vista 9 (leg)  22h50  Cinépolis Salvador Norte 3 (leg)  20h | 22h35  Cinépolis Salvador Norte 6 (dub)  21h40  Espaço Itaú Glauber Rocha 1 (dub)  14h30


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas