Três índios são mortos a tiros em área de conflito no sul da Bahia

bahia
09.11.2013, 15:17:00

Três índios são mortos a tiros em área de conflito no sul da Bahia

Eles teriam sido assassinados em uma emboscada ao deixarem uma fazenda

Da Redação
atualizada às 20h14

Três índios tupinambás foram mortos na noite desta sexta-feira (9), em Una, no sul da Bahia, área de disputa entre produtores rurais e indígenas. Eles foram surpreendidos por homens armados quando passavam por uma estrada.

As vítimas foram identificadas por membros da tribo como sendo Ademilson Vieira dos Santos, Aurino Santos Calazans e Agenor Monteiro. Eles moravam em uma área ocupada há cerca de quatro meses.

Segundo a TV Bahia, após o crime, três homens foram presos pela polícia. Um deles, Lindomar Araújo Nascimento, é apontado como mandante. Lindomar teria encomendado a morte por conta de uma briga com duas das vítimas.

Já em Buerarema, dois agricultores dizem que foram espancandos e mantidos reféns por índios nesta sexta-feira (8) quando colhiam cacau na propriedade deles, na região do rio do cipó. Eles estavam acompanhados pela Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança porque parte da propriedade está ocupada por índios há seis meses.

O grupo de índios chegou quando os policiais saíram para buscar um caminhoneiro que transportava uma carga. De acordo com a TV Bahia, árvores foram derrubadas na estrada para dificultar o retorno dos policiais, que chegaram por volta de meia noite para resgatar os agricultores.

Conflito
O local onde ocorreu o triplo homicídio fica na região conhecida como Serra do Padeiro, onde, nos últimos meses, índios ocuparam diversas propriedades rurais. O foco maior do conflito está na cidade de Buerarema, mas há também fazendas ocupadas em Una e em São José da Vitória, além de Ilhéus.

As ocupações, que os índios classificam como “retomada do território sagrado”, foi a forma encontrada pelos tupinambás para exigir do governo federal a conclusão do processo de demarcação da Terra Indígena Tupinambá de Olivença.

A área de 47.376 hectares (um hectare corresponde a 10 mil metros quadrados, o equivalente a um campo de futebol oficial) foi delimitada pela Funai em 2009. Desde então, os índios cobram que o Ministério da Justiça expeça a portaria declaratória, reconhecendo-a como território tradicional indígena.

Em 4 de setembro, um índio tupinambá foi encontrado morto na Fazenda São Pedro, entre as cidades de Una e Ilhéus. A fazenda foi ocupada por indígenas e está envolvida dos conflitos. Na mesma região, um trabalhador rural foi espancado e baleado na coluna durante uma ocupação indígena.

Leia também:

Conflitos de terra: tropa da Força Nacional chega hoje ao sul da Bahia

MPF pede aumento de homens da FNS e das Polícias Civil e Militar em Buerarema 
Índios acusam produtores rurais de discriminação e ataques à comunidade em Buerarema

No dia 25 de outubro, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o governador Jaques Wagner (PT) reuniram-se com líderes indígenas e proprietários rurais para tentar mediar o conflito. O ministro garantiu que a questão será analisada com total imparcialidade e que um plano de segurança está sendo elaborado para a região. O plano ainda não foi divulgado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas