Três stylists ressignificam a tradicional camisa social

entretenimento
01.08.2020, 09:15:00

Três stylists ressignificam a tradicional camisa social

Sandro López, Ed Carlos e Camila Barsou se jogaram na ideia e soltaram a imaginação

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Na moda sempre direcionamos o olhar para o comportamento para detectar o surgimento de tendências. Com a pandemia, foi fácil notar que a mania do momento é pensar em um consumo mais consciente. Basta olhar as redes sociais, para perceber que as pessoas estão passando horas customizado e fazendo suas próprias roupas e descobrindo novos usos para as peças esquecidas no guarda-roupa. Surfando nessa onda, convidamos três stylists criativos para brincar com a tradicional camisa, peça que todo mundo tem em casa. Sandro López (@sandro.lopez), Ed Carlos (@itsoed)e Camila Barsou(@camilabarsou) se jogaram na ideia e soltaram a imaginação. Para ficar com cara de editorial, contamos com a arte de Pedro Onofre (@pe.draw). 

Nada óbvio  

A jaqueta bomber de animal print virou camisa e a clássica camisa branca ganhou a função de sobreposição nas mãos do Ed Carlos. Para manter o tom contemporâneo da produção, ele apostou em uma calça sportwear mais tênis e uma pochete cheia de brilho, peça que caiu bem como cinto e roubou a cena dando a assinatura fashion. Diga se não dá vontade de experimentar? 

Para todxs 

Sandro López optou por quebrar as barreiras de gênero e tamanhos na hora de bolar sua proposta. Uniu duas camisas sociais de cores diferentes pelos botões, colocando-os nas casas das peças opostas. Assim, elas se transformaram em uma peça de tamanho generoso, com ares de vestido. As duas mangas que sobraram foram amaradas para acinturar o look. 

Assimetria chique 

Abusando da inventividade, Camila Barsou vestiu a camisa apenas por um dos lados, deixando-a com o efeito de um “ombro só”. Abotoou os primeiros botões próximos ao decote, de forma que ainda sobre tecido para a amarração. Em seguida, pegou a manga que não vestiu e fez um nó com a parte que sobrou do lado oposto, garantindo o look assimétrico.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas