Trilha apresenta Barragem do Cobre para soteropolitanos

salvador
24.11.2019, 16:43:00
Atualizado: 24.11.2019, 16:48:49
As entidades protetoras do parque organizarão novas atividades a cada dois meses (Carmen Vasconcelos/ CORREIO)

Trilha apresenta Barragem do Cobre para soteropolitanos

Entre os parques São Bartolomeu e Pirajá, espaço é o 2º maior bioma de Mata Atlântica dentro de cidades do Brasil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Imagine um espaço preservado de Mata Atlântica, com cachoeiras e espelhos d’água, em pleno centro urbano. Ele existe e fica em Salvador, mais especificamente numa área entre os parques de São Bartolomeu e Pirajá: a Barragem do Cobre, em Pirajá. Neste domingo (24), o espaço recebeu cerca de mil visitantes, que, além de fazerem a trilha e aproveitarem os banhos de cachoeira, ainda desfrutaram de uma programação ampla com apresentação de artistas locais e aula de zumba.

De acordo com o produtor cultural Glauber Machado, a proposta da comunidade é realizar trilhas com programação cultural a cada dois meses e, a cada quinze dias, fazer atividades menores no espaço para estimular a ocupação e a presença. “Temos um espaço privilegiado que é o segundo maior bioma de Mata Atlântica em área urbana no Brasil, um sítio histórico importante, mas que poucas pessoas conhecem e que carece de uma atenção maior dos poderes públicos”, pontua Machado. 

Conhecer o parque São Bartolomeu era um desejo antigo de Luisete Lopes. “Via as fotos nas redes sociais e ficava encantada com as paisagens. Hoje, reuni duas amigas e viemos conhecer esse espaço especialíssimo”, disse. Para ela e as amigas, que fizeram a trilha completa, para que o lugar possa se transformar num local de grande visitação, é preciso que algumas benfeitorias sejam feitas. “Não tem sanitários ao longo da trilha e faltam lixeiras. Acredito que, se pelo menos isso fosse colocado na trilha, as pessoas se sentiriam mais confortáveis”, defende a administradora Nilse Paixão. 

Decidida a aproveitar tudo o que o domingo de muito sol tinha para oferecer, Olga Regina Santos também resolveu conhecer a trilha do Parque São Bartolomeu e Pirajá, mas se entristeceu com a poluição das duas primeiras cachoeiras do local. “Num momento em que o mundo defende a preservação de áreas verdes, é triste pensar que Salvador possui um lugar como esse, mas que não conta com um investimento que garanta a limpeza dessas cachoeiras”, pontuou.

Para ela, o investimento na área, sem dúvida, não apenas preservaria contra a degradação, como também serviria para vencer o preconceito e o receio com a área. “As pessoas ainda têm muito receio do Parque, mas percebi que é seguro, belo e muito agradável”, destacou.

Ao longo da trilha, os visitantes puderam aproveitar para se refrescar nas quedas d'água (Foto: Carmen Vasconcelos)

Os operadores de telemarketing Antônio Marcos Araújo e Luana Matos já conheciam o Parque São Bartolomeu, mas nunca tinham chegado a subir até a Barragem do Cobre. “É impressionante! A mata é fechada e linda, e os banhos de cachoeira fazem tudo valer a pena”, reforçou Antônio Marcos. Para Luana, a realização de outras trilhas em um espaço de tempo menor seria uma forma excelente de dar mais visibilidade ao espaço. “Isso aqui é um paraíso, excelente para recarregar as baterias e o melhor é que está dentro de Salvador”.

Antes do início da trilha, os visitantes participaram de aulas de yoga, danças sagradas e xamânicas no Centro de Referência do Parque São Bartolomeu. Na chegada à Barragem do Cobre, a recepção ficou por conta de uma aula de zumba com o professor Tiago e, em seguida, foi realizada a quinta edição do "Nature Jam" - Festival de Arte, Cultura e Meio ambiente com Poesia, Música,Teatro. Nessa edição, participaram Sorriso do Barraco do Poeta, Antônio Costa "Poeta Caviar", Damiana Sá e Milica San.

Artistas locais se apresentaram no palco improvisado (Foto: Glauber Machado)


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas