Trilhas: essa é a “República”

trilhas
20.05.2017, 04:35:00

Trilhas: essa é a “República”


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Estão chamando Joesley de Safadão, uma ofensa ao compositor/cantor. É impossível comparar, sem ofender, qualquer artista aos empresários brasileiros e aos políticos eleitos para gerir a coisa pública, que transformaram o governo numa cleptocracia PT/PMDB & Seus Satélites. Ainda estávamos boquiabertos com João Santana e Mônica Moura, que sucederam, com uma delação.pop, à delação familiar dos Odebrecht, quando os Irmãos Friboi entraram na jogada. Joesley Batista nascido no Texas brasileiro, Goiás, casado com a baiana Ticiana Villas Boas, e seu irmão compraram provavelmente dois (?) poderes da república brasileira com dinheiro do BNDES. Lula continua solto. Aécio e Renan idem. Andréa Neves, irmã de Aécio e neta de Tancredo Neves, está presa com foto de frente e perfil nas redes. E depois de ler o diálogo de Joesley Batista, o empresário novo rico, com Michel Temer, o presidente constitucionalista, conferi se minhas roupas íntimas tinham sido roubadas. O presidente recebeu o empresário em horário inadequado, em lugar inadequado, para uma conversa inadequada sobre ataques à coisa pública que ele deveria proteger, e nós, nos intervalos do Jornal Nacional que noticiava essa depravação inconstitucional, fomos obrigados a assistir propagandas do PP e do PR, com Leão Boca de Cocô jurando aos nossos neurônios superfaturados de roubalheiras, que adora fazer pontes e que quer muito fazer a ponte Salvador Itaparica!

As relações financeiras de Joesley com Lula, Dilma, Renan e Guido Mantega, que continuam soltos, chegaram na tarde de ontem. Joesley comprou deputados para votar contra o impeachment com preços que variaram de 5 milhões a 500 mil reais, pagos com dinheiro do BNDES. Lula precisa desesperadamente da presidência da república para escapar da cadeia. Dilma nunca se sabe o que quer ou o que falará porque é de uma inventividade estarrecedora. A ficha corrida de Renan é maior do que a de Mantega. Mas de qualquer maneira, protejamos nossas roupas íntimas porque a coisa pública parece estar comprometida por todos, por Temer que com aquela cara de vampiro é mesmo um vampiro, por Aécio que nunca conseguiu enganar ninguém, por Andrea que combina com as fotos de detenta. O único que me enganou foi Lula. Lula foi o único que me prometeu, e em quem eu acreditei, acabar com a cleptocracia e cleptocratizou mais que todos.

As gralhas “da esquerda” estão gritando por eleições e levando seus militantes às ruas. As gralhas estão pouco se importando com o Brasil. Nem as gralhas, nem os tucanos, nem ninguém ou nada do zoológico de Brasília têm qualquer compromisso com o País. Todos estão preocupados com suas penas e peles. E se gritam por eleições diretas é com esperança de que Lula vença e se livre dos seus processos por corrupção e garanta a esbórnia na vida pública que está quase sem coisa, num momento semelhante a 1989, que instituiu a nova república que é essa república. Sarney e Temer, ambos do PMDB, são tão parecidos que ambos alegam fazer literatura. Sarney elegeu Collor. Pode ser que Temer e seu entorno elejam Bolsonaro num país que já é campeão de violência contra gays. República de merda! 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas