Uso de máscara volta a ser obrigatório em Porto Seguro

coronavírus
17.11.2021, 18:20:00
(Reprodução)

Uso de máscara volta a ser obrigatório em Porto Seguro

Município registrou 459 novos casos de covid-19 em duas semanas de acordo com dados da Sesab

Não durou duas semanas a decisão da prefeitura de Porto Seguro por suspender, via Diário Oficial publicado no dia 2 de novembro, a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes abertos da cidade localizada no sul da Bahia. 

Isso porque, nesta terça-feira (16), também através de decreto, o prefeito Jânio Natal recuou e voltou a colocar as máscaras como item obrigatório também nestes espaços.

No texto do decreto Nº 13.315/21, a gestão justificou a decisão, afirmando que ela foi feita considerando o aumento do números de casos de covid-19 nos últimos dias, que assustou a vigilância em saúde do município.

De acordo com os boletins epidemiológicos da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), em 2 de novembro, Porto Seguro tinha registrado, no total, 12.155 casos de infecção por covid-19. Nesta quarta-feira (17), o município chegou a 12.614 casos confirmados de coronavírus. Ou seja, em duas semanas sem uso de máscara obrigatório em ambientes abertos, a cidade teve 459 novos casos registrados. 

Segundo o decreto da Prefeitura de Porto Seguro, o descumprimento do decreto em relação às máscaras pode acarretar ao infrator ações na esfera civil, administrativa e penal, podendo responder por crimes contra a saúde pública e administração pública em geral.

A reportagem procurou a gestão para obter mais detalhes sobre as razões que motivaram a decisão e o panorama da covid-19 no município, mas não recebeu resposta até o fechamento desta matéria.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas