'Vamos nos divertir', pede Maria Bethânia a Zeca Pagodinho

entretenimento
25.01.2019, 06:00:00
(Foto: Marcos Hermes/Divulgação)

'Vamos nos divertir', pede Maria Bethânia a Zeca Pagodinho

Cantores encerram a turnê De Santo Amaro a Xerém neste sábado (26), na Concha Acústica do TCA

Famosa por sua elegância e disciplina, a cantora Maria Bethânia, 72 anos, quebra o protocolo e entra com os pés descalços no palco da Concha Acústica para indicar o clima do show que apresenta ao lado do sambista carioca Zeca Pagodinho, 59. Pela segunda vez em Salvador, a dupla se reunirá neste sábado (26), às 19h, na turnê de lançamento do CD/DVD De Santo Amaro a Xerém, show que teve estreia nacional no mesmo palco, em abril do ano passado, e que está de volta com os ingressos já esgotados.

Reunião entre amigos, a apresentação cativa pelo clima leve e afetivo. A dupla entra no palco de mãos dadas, desfila sorrisos e samba no pé, enquando canta sucessos da trajetória de cada um e a inédita que dá nome ao show. A taça de vinho repousa sobre a mesinha ao lado de Zeca que ora canta com Bethânia, ora canta sozinho e manda beijos para a cantora, que assiste à performance do amigo sentada e sorridente.

Em outro momento, é Bethânia quem assume a cena com sua interpretação visceral e seu exuberante colar de plumas que dá leveza à apresentação. “Tem sido muito bacana, tenho aprendido muita coisa com ela, principalmente a não ficar preocupado. Bethânia disse: ‘Zeca, vamos nos divertir’. Se errar, errou, se acertar, acertou e vumbora”, conta Zeca Pagodinho, bem-humorado, em uma das cenas do DVD gravado em São Paulo.

O percussionista Marcelo Costa, que acompanha Bethânia há anos, define o encontro como um equilíbrio importante.

“O Zeca trouxe certa leveza pra Bethânia, lembrou a ela uma leveza que ela mesma tem. E ela lembrou a ele uma responsabilidade que ele também sempre teve. Mas são coisas que talvez poderiam estar um pouco esquecidas”, resume Marcelo, no making of do DVD.

Entre na roda
Essa é a última chance de ver a interação da dupla ao vivo, afinal a turnê que já passou por cidades como Recife, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, encerra sua viagem em Salvador. Quem não conseguiu comprar o ingresso terá, no DVD, uma ideia do que é esse encontro que soou inusitado quando foi anunciado, há um ano. Além do show, o trabalho traz ainda os bastidores da turnê.

“Ele chegava antes de mim nos ensaios. Trabalha, gosta do que faz”, lembra Bethânia, sorrindo. “Pra mim era uma festa. Todo dia eu ia pra lá, via meus amigos, conhecia gente. Achei até um cachorro na rua e falei: levo”, conta Zeca, com seu jeitão despachado sobre o pet adotado por ele. “Liguei pra Bethânia e perguntei: ‘Bethânia, pode botar o nome dele de Amaro?’. ‘Pode’. Então você é a madrinha e Paulinho, do violão, é o padrinho. Pronto, resolvido”, gargalha Pagodinho.

Bethânia explica, no trabalho, a origem da música De Santo Amaro a Xerém, que faz referência à sua cidade natal e ao município fluminense onde o sambista tem um sítio. Composta por Caetano Veloso, a letra exalta o samba, gênero mais óbvio na trajetória de Zeca, mas sempre presente na carreira de Bethânia, que cresceu com o samba de roda do Recôncavo baiano.

“Quando resolvemos fazer o show, eu pensava que tinha que ter coisas especialmente criadas para esse espetáculo. Então, o que nos une? Santo Amaro, interior, Xerém, interior dele”, explica Bethânia, que convidou o irmão por conta da proximidade com o tema e a dupla. “Era a pessoa que deveria fazer uma canção que significasse esse encontro”, reforça.

Depois de ser surpreendido com um e-mail de Bethânia e ficar sem saber o que fazer, afinal tinha dois anos sem compor, Caetano finalmente compôs a música-título que anuncia: “Eu aprendi na Baía/E no Rio de Janeiro/ Samba é no Brasil inteiro/De Santo Amaro a Xerém/Entra na roda meu bem”.

No DVD, Caetano explica: “Sou de um tempo que a gente aprendia que o samba nasceu na Bahia, foi pra o Rio e se tornou expressão nacional, porque o Rio era a capital. Então fiz dentro desse espírito”. De Santo Amaro a Xerém, o show percorre essa história e Pagodinho garante, rindo: “Deixo Bethânia me levar”.

Serviço
O quê: Maria Bethânia e Zeca Pagodinho encerram a turnê De Santo Amaro a Xerém
Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Campo Grande | 3003-0595)
Quando: sábado (26), às 19h
Ingressos (esgotados): R$ 140 | R$ 70 (plateia) e R$ 280 | R$ 140 (camarote)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas