'Varal Solidário' doa roupas para pessoas em situação de rua na Piedade

salvador
20.07.2019, 13:45:00
(Foto: Betto Jr / CORREIO)

'Varal Solidário' doa roupas para pessoas em situação de rua na Piedade

Ação foi criada por equipe de 8 pessoas e deve ter novas edições em breve

Tudo começou antes dos festejos juninos. Um link na internet despertou a vontade da publicitária Catherine Avilés, de 28 anos, de fazer uma ação solidária em Salvador. A data marcada para tirar a ideia do papel foi este sábado (20) e o resultado foi a campanha "Varal Solidário" que ocorreu na Praça da Piedade.

A ideia é simples: pessoas que possuem roupas em boas condições e que não usam mais, doam, e aqueles que precisam, pegam. Catherine viu uma ação que ocorreu no estado do Paraná e resolveu replicar na capital baiana. Neste mês, a campanha foi voltada ao frio por conta do período de chuvas, mas doações de todos os tipos estão sendo recebidos pela equipe de 10 pessoas que organizaram o evento.

(Foto: Betto Jr/CORREIO)
(Foto: Betto Jr/CORREIO)
(Foto: Betto Jr/CORREIO)
(Foto: Betto Jr/CORREIO)
(Foto: Betto Jr/CORREIO)

Durante um período de uma hora em que o CORREIO ficou no local, aproximadamente 80 pessoas apareceram com doações. Eram sacolas cheias de roupas, sapatos e cobertores para auxiliar aqueles que mais necessitam.

"Nós já arrecadamos até agora umas cinco mil peças. A nossa expectativa era ter mil. Estamos muito surpresos e felizes com toda essa repercussão", disse emocionada a jornalista Jamile Barbosa, de 34 anos, que também auxilia no evento.

Seu Carlos Roberto, de 62 anos, passa diariamente na Praça da Piedade. Neste sábado (20), avistou a campanha e aproveitou para pegar algumas peças para ele. Ele foi um dos beneficiados com a ação. "Eu moro aqui no Dois de Julho e peguei para mim esse casaco bonito e uma blusa. Estou esperando para ver se acho uma calça jeans 38 para mim", disse. Seu Carlos ainda ficou no local ajudando na ação. 

As peças foram estendidas na grade da Praça da Piedade para que quem passasse pudesse ver a ação. Sapatos e outros acessórios também foram doados pela população. A iniciativa começou com a ideia da publicitária Catherine Avilés, que prontamente criou um grupo com 7 pessoas, que logo se expandiu para 10.

"Foi com a criação do instagram, há duas semanas, que a ideia bombou. A repercussão foi tão grande que estávamos com vários carros cheios de doações", contou. E não parava de chegar doação. A todo o momento pessoas chegavam com suas sacolas e outras deixavam o telefone para doar nas próximas ocasiões.

O que era para ser uma ação isolada deve ganhar um calendário mensal. A ideia é fazer a próxima edição no Subúrbio de Salvador no terceiro final de semana no mês. Tudo pode ser acompanhado através do Instagram do evento, o @varalsolidariossa. 

A comerciária Binha Santos, de 38 anos, também mora no Dois de Julho e resolveu doar algumas peças que estavam sem uso em seu guarda-roupa. "Eu vi no jornal e separei na hora o que dava para usar. Em casa tem mais um saco cheio que mais tarde venho trazer para eles. Estou doando dois casacos, duas calças e uma bermuda", disse.

Além de roupas masculinas, femininas e infantis e cobertores, eles pedem também a doação de meias e sapatos. "A gente está aceitando tudo. Estamos fazendo uma triagem e separando as roupas de verão para uma próxima edição. Queremos também uma parceria com uma lavanderia porque são muitas peças e não estamos conseguindo lavar tudo", disse Jamile.

"A nossa ideia é focar na dignidade das pessoas e trazer humanidade para elas também. Elas estão em situação de rua e tem que sentir dignidade", acrescentou a jornalista.

A ideia é expandir os atuais 10 pontos de coleta para pelo menos 20 já para a próxima ação no mês que vem. Os pontos desse evento estiveram em Amaralina, no Campo Grande, no Cine Glauber Rocha, no Extra da Paralela, no GBarbosa Costa Azul, nos Shoppings Barra, Bela Vista, da Bahia e Salvador Shopping, além de Sussuarana/CAB.

A professora Ana Lúcia Oliveira, 46, também viu a ação na televisão. Ela mora em São Rafael mas ia ao centro hoje e aproveitou para levar um cobertor que não usava mais. "Eu usava ele no interior, ele é muito quente e por isso não usava aqui em Salvador, mas para quem está em situação de rua serve, né? Então vim aqui doar porque eu nem imagino como é viver na rua", disse.

O pedreiro Evilásio dos Reis, de 53 anos, foi no Varal Solidário em busca de um tênis. Ele mora em Cajazeiras mas está sempre no centro da cidade. "Vim pegar um tênis mas ainda não tem nenhum que sirva no meu pé", disse. "Vou esperar", acrescentou rindo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas