Vítima do 'serial killer do DF' diz que Lázaro "tem raiva de mulher"

brasil
19.06.2021, 15:39:19

Vítima do 'serial killer do DF' diz que Lázaro "tem raiva de mulher"

Reportagem conversou com a vítima violentada há 12 anos nos arredores da comunidade do Sol Nascente, favela que fica vizinha à Ceilândia

Acusado de matar uma família de quatro pessoas, Lázaro Barbosa, de 32 anos, já conhecido como "serial killer do Distrito Federal", tem uma extensa ficha criminal. Antes de ser acusado pelo assassinato da família Vidal Marques, no dia 9, Lázaro cumpriu pena por estuprar uma mulher, em 2009.

Leia mais: Afinal, Lázaro Barbosa é um serial killer?

O ato de violência ocorreu no mesmo córrego onde ele deixou o corpo de Cleonice Marques de Andrade, mãe da família morta na zona rural de Ceilândia, cidade satélite de Brasília. Um aparato de mais de 200 policiais, acompanhados de cães farejadores, tenta capturá-lo há nove dias.

Saiba mais: Busca por Lázaro, o 'serial killer do DF', completa 10 dias: o que se sabe até agora

A reportagem conversou com a vítima violentada há 12 anos nos arredores da comunidade do Sol Nascente, favela que fica vizinha à Ceilândia. "Ele gosta de violentar mulher. O negócio dele é com mulher, a raiva é com mulher", disse a vítima de Lázaro, sob a condição de anonimato. "Eu me mudei, minha família vendeu a chácara. Vi até pela Polícia Civil que ele voltou atrás da gente depois do ‘saidão’. Não era para estar solto."

Lázaro e o irmão Deusdete invadiram a chácara onde a mulher, que na época tinha 19 anos, morava com a família. Não acharam dinheiro, mas levaram a vítima para o córrego e a estupraram. Deusdete morreu há cinco anos.

A mulher afirmou que Lázaro tem um comportamento frio. "Frieza mesmo, bem meticuloso. Ele é bem cruel, é um bárbaro e torturador", descreveu. "O negócio dele é dinheiro, celular, mas ele aproveita. Gosta muito de humilhar as vítimas. Tem um pouco da questão da psicopatia, gosta de subjugar mulher e tirar moral "

Ao saber que Lázaro cometeu mais crimes e continua foragido, a vítima disse sentir muito medo e não escondeu estar aterrorizada "Minha ansiedade voltou, meu corpo fica gelado e tremendo. É inacreditável que soltaram um maníaco desses, sequestrador, estuprador e torturador", protestou.

O irmão de Lázaro, de acordo com a vítima, parecia mais perigoso "O tanto de maldade que fizeram com a gente... O irmão dele na época mandava mensagem o tempo todo, (dizendo) que ia me matar. É muito inacreditável", lembrou.

Apelo: 'Espero que ele se entregue', diz esposa de Lázaro, o 'serial killer do DF' 

Mensagem: Polícia encontra carta em esconderijo de Lázaro: 'Muitas pessoas merecem morrer'

Histórico

Lázaro foi preso em 2009, mas conseguiu fugir do Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, em 2016. À época, não retornou da saída temporária de Páscoa. Em 2018, ele foi detido novamente, desta vez em Águas Lindas de Goiás, mas escapou da prisão poucos meses depois. O homem que a Polícia persegue é acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia. Os mortos eram Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15. O foragido também é apontado como responsável pelo sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos. O corpo dela foi encontrado no dia 12 à beira de um córrego, o mesmo do estupro de 2009. "Ela foi morta no começo e eu fui violentada quase no final do córrego", contou ao Estadão a vítima do crime cometido há 12 anos. "Depois que a Cleonice morreu, fiquei bem abalada. Mexeu muito comigo."

O aparato da Polícia Civil se concentrava ontem em uma área de matagal no distrito de Girassol. Um morador afirmou nesta sexta-feira ter visto Lázaro invadir uma chácara naquele distrito. "O vizinho viu ele entrando no bananal. Na mesma hora, coisa de segundos, a polícia chegou. (Lázaro) Entrou no mato. Rapidinho os helicópteros chegaram e, pelo jeito, ele invadiu nossa casa", disse o chacareiro Alan Reis. "Quebrou a porta, revirou as roupas da minha esposa e levou o queijo." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas