Vitória enfrenta o Atlético-GO hoje para tentar se livrar da zona

e.c. vitória
08.07.2017, 07:22:00
Atualizado: 08.07.2017, 10:04:40

Vitória enfrenta o Atlético-GO hoje para tentar se livrar da zona

Se vencer, o Vitória sobe para 16º lugar e deixa momentaneamente a zona de rebaixamento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

É guerra, confronto direto, jogo de “seis pontos. É vencer para folgar a corda do pescoço e afundar o adversário. Neste sábado (8), o Leão enfrenta o lanterna Atlético Goianiense às 16h, no estádio Olímpico, em Goiânia. Se vencer, dorme fora da zona de rebaixamento. Se perder, é ultrapassado pelo adversário.

De um lado, o Vitória. O time treinado por Alexandre Gallo vive situação delicada no Brasileirão. Na zona de rebaixamento, ocupa a 18ª posição e só conquistou nove dos 33 pontos disputados até agora. Triunfos, foram só dois. Empatou três vezes e perdeu seis. 

André Lima comandará o ataque rubro-negro (Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

O cenário não é dos melhores. Dono do pior terceiro ataque da competição, com nove gols, o rubro-negro só é melhor que duas equipes no quesito. É aí que vem uma notícia animadora. Além do Avaí, que só fez cinco gols, o Leão também ganha do Atlético-GO, já que os goianos só marcaram oito. Enquanto o Vitória sofreu 15 gols, o Dragão deixou sua defesa ser vazada 18 vezes.

Fora de casa, o Vitória fez cinco partidas e só conseguiu vencer o Sport, na Ilha do Retiro. Empatou com Avaí e perdeu para Fluminense, São Paulo e Atlético-PR. Longe dos seus domínios, o Leão fez cinco gols e sofreu nove.

Apesar do evidente estado de alerta, é possível se animar. Isso porque do outro lado está o Atlético-GO, que vive situação ainda pior. Uma boa oportunidade de dar início a uma arrancada no campeonato.

Lanterna da Série A, o time de Goiânia tem a quarta pior campanha como mandante - ganhou apenas dois dos seis jogos que fez, empatou um e perdeu três vezes. Em solo goiano, foram sete gols feitos e sete sofridos. A equipe do técnico Doriva não vence há quatro rodadas. O último triunfo foi diante do Avaí, em casa, no dia 14 de junho. 

Mas convém pular o papo jejum porque o Vitória anda pior nesse aspecto. Apesar de ter vencido pela última vez há três rodadas, no dia 18 de junho, o Leão tem uma desvantagem no confronto direto: nunca venceu o Atlético-GO na história da Série A. São cinco jogos, com três empates e dois triunfos goianos. 

Acrescentando os confrontos da Série B e Copa do Brasil, o número de jogos sobe para nove, com duas vitórias do Leão, três atleticanas e quatro empates, todos por 0x0 - um deles aconteceu no último encontro entre as duas equipes, em 2015.

Se vencer o jogo, o Vitória sobe para 16º lugar e deixa momentaneamente a zona de rebaixamento. Para seguir fora dela, precisa que Bahia e São Paulo percam no domingo (9). O Bahia recebe o Fluminense e o São Paulo visita o Santos.

(Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

Na mesma moeda
Assim como Alexandre Gallo, Doriva apostou nos portões fechados e no mistério ao longo da semana para encarar o Vitória. 

Apesar de Gallo não revelar o time, é certo que o Leão terá pelo menos duas mudanças. Na lateral esquerda, Thallyson herda a vaga de Geferson, suspenso. Já no ataque, como Kieza - artilheiro do time na temporada e no Brasileirão - se recupera de uma cirurgia no ombro e ficará de molho por pelo menos três meses, David deve ser o substituto ao lado de André Lima. Neilton é a outra opção.

Apesar de dizer que pretende “mexer o mínimo possível na equipe” que empatou por 0x0 com o Bahia, na rodada passada, o treinador não revelou se manterá Ramon na zaga ou escalará Fred, recuperado de incômodo muscular.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas