Websérie mostra participação negra na história do cinema brasileiro

entretenimento
09.09.2021, 13:00:00
Izabel Cruz, pesquisadora, participa de um episódio (reprodução)

Websérie mostra participação negra na história do cinema brasileiro

Produção é coordenada pelo pesquisador Pedro A. Caribé

Está disponível no YouTube a série Cinema de Terreiro, que, em 11 episódios, reúne mais de 30 depoimentos sobre trajetórias de profissionais negros de diferentes gerações e que atuam em diversas áreas do cinema. Por enquanto, são quatro capítulos que podem ser acessados e os próximos entram no ar sempre às segundas-feiras. A produção tem a coordenação do pesquisador Pedro A. Caribé, que também apresenta o programa.  

O primeiro episódio, único com 16 minutos, Uma abertura com Luiz Orlando, é uma homenagem ao cineclubista baiano e militante negro  que morreu em 2006, aos 61 anos. O projeto Cinema de Terreiro nasceu a partir da tese de doutorado de Pedro, que tinha foco na atuação de Luiz Orlando nos cineclubes da Bahia nos anos 1970/80. A série retrata, em cada um dos capítulos, pessoas negras que atuam ou atuaram no cinema nas mais diversas áreas, desde a atuação, até direção, crítica e trilha sonora. No capítulo dedicado à crítica e pesquisa cinematógrafica, já disponível, três profissionais são destaque: Izabel Cruz, Marcos Pierry e o marfinense Mohamed Bamba, que era da Costa do Marfim, ensinava na Ufba e morreu aos 48 anos em 2015. Chica Xavier (1932-2020) é uma das celebradas homenageadas no episódio Atores e Atrizes.

Jorge Washigton e Luciana Souza, ambos do Bando de Teatro Olodum, também são lembrados. Apesar do título, a série não está diretamente ligada a religiões de matriz africana, observa Pedro: "O terreiro é o principal manancial civilizatório da persistência africana, dos corpos, das simbologias e do modo de viver africanizado. O terreiro está presente em nossa civilização". O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal. Disponível em: www.youtube.com/Cultne.


 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas