Zé Rafael perde pênalti decisivo e São Paulo elimina o Palmeiras

esportes
07.04.2019, 20:30:00
(Foto: Paulo Pinto/saopaulofc.net)

Zé Rafael perde pênalti decisivo e São Paulo elimina o Palmeiras

Tricolor volta à decisão após 16 anos; adversário será definido na segunda-feira (8), entre Santos e Corinthians

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um gol para cada lado, anulação de ambos pelo VAR e classificação nos pênaltis. Não faltaram emoções no segundo encontro entre Palmeiras e São Paulo, pela semifinal do Campeonato Paulista. E quem avançou, em pleno Allianz Parque, foi o tricolor.  

Após empatarem no tempo regular em 0x0, os times  se encararam nas penalidades máximas. Coube ao goleiro Tiago Volpi ser a estrela da etapa. Pegou a cobrança de Ricardo Goulart, desperdiçou uma batida - defendida por Fernando Prass - e se redimiu espalmando o chute de Zé Rafael, ex-jogador do Bahia, garantindo a ida do Tricolor para a finalíssima. 

Com o resultado, o time encerrou um jejum de 16 anos sem conseguir ir à grande decisão do estadual - a última vez havia sido em 2003. 

O São Paulo agora aguarda o resultado da outra semi, que será disputada hoje, às 20h, no Pacaembu, entre Santos e Corinthians. Quem tem a vantagem é o Timão, que só precisa empatar - já que venceu o primeiro duelo por 2x1.

O jogo
O primeiro tempo teve velocidade, mas poucas chances reais de gol. Uma delas veio aos 12 minutos, quando Dudu recebeu e bateu cruzado para a defesa de Tiago Volpi. No rebote, Ricardo Goulart  bateu, mas a zaga travou.

O São Paulo só chegou com perigo aos 43, quando Everton deu passe para Antony, que invadiu a área e bateu. A bola, porém, foi sem força e Prass defendeu.

Na volta do intervalo, aos 3 minutos, o tricolor chegou a balançar a rede  com Liziero. Mas o bandeira assinalou o impedimento e o VAR entrou em ação. Após a verificação, o árbitro de vídeo confirmou a posição irregular e anulou.

O VAR voltou a atuar aos 32, só que pelo outro lado. Diogo Barbosa recebeu pela ponta esquerda e fez o cruzamento. Deyverson, livre, recebeu, dominou e bateu para o fundo do gol na saída de Tiago Volpi. Mais uma vez, a partida foi parada para revisão. O árbitro de vídeo apontou impedimento de Deyverson e o lance foi invalidado, mantendo o placar no 0x0.

Ainda houve uma boa chance no fim, quando Zé Rafael recebeu, dominou, avançou e bateu cruzado. A bola passou ao lado da meta e a decisão foi para os pênaltis. 

Quem começou as cobranças foi Nenê, seguido por Bruno Henrique, Everton Felipe, Gustavo Gómez e Hudson, todas convertidas. Na sequência, Goulart teve a sua chance defendida por Volpi. Após acertos de Gonzalo Carneiro e Luan, o goleiro tricolor viu sua própria batida ser impedida por Prass, deixando tudo igual.

Diogo Barbosa e Bruno Alves marcaram. Mas Volpi, em dia de protagonista, se esticou e conseguiu defender a batida de Zé Rafael: festa do São Paulo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas