O Rappa e Nação Zumbi confirmam fôlego musical no Wet’n Wild

Bandas se apresentam neste sábado (2/9), a partir das 22h, com repertório de sucessos

Publicado em 1 de setembro de 2017 às 06:20

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Foto: Guto Costa/Divulgação
Enquanto se prepara para lançar um disco de versões e outro de inéditas, a Nação Zumbi passeia por clássicos no show de sábado por Foto: Tom Cabral/Divulgação

Duas bandas que não precisam de muita novidade para reunir um expressivo público em Salvador se apresentam no Wet’n Wild, neste sábado (2/9), a partir das 22h: O Rappa e Nação Zumbi. Ambos com mais de 20 anos de carreira, os grupos matam a saudade dos fãs baianos com repertórios que transitam predominantemente por seus principais sucessos.

Com dez álbuns lançados, O Rappa garante que não vão faltar músicas “quase obrigatórias” como Me Deixa e Pescador de Ilusões. Apesar disso, o repertório não é fixo, garante o guitarrista, Xandão 49 anos, que forma o grupo carioca com Marcelo Falcão, Lauro Farias e Marcelo Lobato. “Falcão acaba escolhendo as músicas na hora e sempre temos arranjos diferentes, isso deixa o show renovado”, garante.

Essa, porém, será uma das últimas chances para ver O Rappa em cena, já que o grupo que esteve no Festival de Inverno Bahia anunciou uma pausa por tempo indeterminado, em 2018. “A vida na estrada é bastante desgastante e essa parada também serve para recarregarmos as baterias”, explica Xandão, ao lembrar que Falcão foi internado com uma indisposição por conta da rotina de trabalho, há alguns dias.

Além do grupo liderado por Falcão, os baianos vão poder curtir a Nação Zumbi, banda pernambucana que abre a noite e promete resgatar sucessos dos seus 26 anos de carreira, registrados em dez discos. Ou seja, são clássicos que vão dos discos de estreia, Da Lama ao Caos (1994) e Afrociberdelia (1996), até o mais recente Nação Zumbi (2014).

“A gente está sempre alternando o repertório com músicas que acabam saindo com o tempo. Fizemos uma mini turnê pela Europa, agora, e vamos trazer esse show pra Salvador”, explica o vocalista Jorge Du Peixe, 50. “Nossa expectativa é a melhor possível. O show é em um espaço aberto e assim a vibe rola mais solta”, comemora o cantor, sobre o show no Wet’n Wild.

Du Peixe conta, ainda, que o grupo está finalizando o disco Radiola NZ – Vol. 1, com versões de artistas como Gilberto Gil, Tim Maia (1942-1998), Erasmo Carlos e David Bowie (1947-2016). Além disso, a Nação está preparando um álbum de inéditas para o primeiro semestre de 2018. Ou seja, como disse Du Peixe, o show de amanhã é “uma pílula” do que está por vir.

[[galeria]]

Serviço Wet’n Wild (Av. Paralela). Sabado (2/9), às 22h. Ingresso: R$ 140 | R$ 70 (pista), R$ 200 | R$ 100 (camarote), R$ 280 | R$ 140 (lounge front). Vendas: Pida, Balcão de Ingressos, Central do Carnaval e Line Bilheteria.