Acidente com fogos durante réveillon no Recife estraga festa

brasil
01.01.2022, 12:50:00
(Reprodução)

Acidente com fogos durante réveillon no Recife estraga festa

Família culpa a prefeitura

Mesa arrumada, decoração planejada e família reunida. Tudo parecia pronto para um réveillon tranquilo, na casa de uma família moradora da Lagoa do Araçá, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul do Recife.

Quando o relógio marcou meia-noite, começaram as explosões de fogos no alto do prédio vizinho. Vídeos gravados pela família, e enviados para a Produção da Tv Jornal, mostram o exato momento em que artefatos pirotécnicos, começaram a atingir o local onde os familiares estavam reunidos.

O autônomo e morador da casa, José Walter Júnior, detalhou os momentos de tensão. "Tivemos que sair no corre-corre. Tinha criança, gente de idade...parecia filme de terror. Muita coisa caindo no telhado, um som estridente, muitos fogos caíam acesos ainda, acabou com a festa da gente. Depois disso, ficamos todos tristes e fomos dormir", afirmou o morador.

O que restou dos fogos ficou espalhado por toda área externa da casa. Passado o susto inicial, José Walter procurou o segurança do prédio vizinho para tentar entender o que havia acontecido.

Foi quando soube que a queima de fogos, havia sido promovida pela Prefeitura do Recife. "O segurança me passou que o condomínio teria cedido a laje do prédio para a prefeitura do Recife soltar esses fogos, causando esse transtorno", José Walter salientou que poderia ter ocorrido um incêndio pois, segundo ele, muitos artefatos caíram sobre motocicletas estacionadas na garagem e até sobre uma lona que havia no local.

Descentralização
A Lagoa do Aracá fazia parte do pontos descentralizados de queima de fogos anunciados pela Prefeitura do Recife para as comemorações do revéillon. A queima de fogos, com duração estimada em 3 minutos, contemplou ainda os bairros do Ibura, Jardim São Paulo, e Morro da Conceição.

A administradora, Renata Nascimento, esposa do José Walter, conta que cartuchos dos fogos utilizados chegaram a atingir a pele dela e dos convidados. "Atingiu minha mãe, que estava sentada, o pé do meu filho mais velho e, quando eu corri para a área coberta, atingiu a minha perna", afirmou a administradora.

Renata Nascimento disse ainda à reportagem da TV Jornal que em momento algum a família foi avisada de que haveria queima de fogos no local onde, afirmou, existem outras residências, aumentando o risco de acidentes. "Eles não vieram fazer nenhuma vigilância para saber se poderia acontecer o que aconteceu, então a gente pede uma providência porque [a queima de fogos] pode se repetir no próximo ano e é um risco. Que isso não aconteça mais", alertou Renata.

A produção da TV Jornal entrou em contato com a Prefeitura do Recife que, até a publicação desta matéria, não havia se manifestado.

Matéria originalmente publicada no JC Online

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas