Hackathon+Salvador: equipes mostram projetos para o Centro Histórico na prefeitura

agenda bahia
06.09.2017, 22:21:00
Atualizado: 06.09.2017, 23:05:11
(Mauro Akin Nassor)

Hackathon+Salvador: equipes mostram projetos para o Centro Histórico na prefeitura

Dos dez grupos originais da maratona hacker, oito permanecem engajados na busca de parceiros para viabilizar ideias inovadoras

Oito dos dez grupos que participaram da maratona de inovação Hackathon+Salvador, ocorrida em 15 e 16 de julho passado, na Facu ldade de Medicina da Ufba (Terreiro de Jesus), seguem firmes no propósito de transformar seus protótipos em negócios viáveis para o Centro Histórico. Ontem pela manhã, a turma se reuniu no auditório da Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), e apresentam os projetos para 20 gestores de órgãos municipais. 

A ideia é que a prefeitura crie um ambiente de incentivo para as futuras startups derivadas da maratona de inovação. E que os projetos com mais potencial possam ser executados pelos órgãos municipais ou por empresas interessadas em investir nas iniciativas. Em julho, o prefeito ACM Neto divulgou um convênio com o Senai-Cimatec para o lançamento de editais que visam estimular o empreendedorismo e a criação de startups que desenvolvam projetos sustentáveis para Salvador.

Presente à mostra de ideias dos grupos do hackathon, Ivan Paiva, diretor de Inovação da Secretaria Municipal de Cidade Sustentável, afirmou que a prefeitura está montando o seu Comitê de Inovação e que tem interesse, já partir do primeiro semestre de 2018, de criar um ambiente favorável à viabilidade de algumas das soluções dos maratonistas. 

"A prefeitura pode ajudar os projetos a evoluir, para que no futuro a gente possa criar um modelo de negócio que permita contratá-los. Em paralelo, estamos criando linhas de editais de inovação e chamamentos públicos para o fundo de investimento em startups", acrescentou o diretor.

Persistência 

Algumas equipes de maratonistas já não contam com a formação original que disputou o Hackathon. Ao todo, foram 50 pessoas divididas em dez times. Dois deles não continuaram, mas, os empreendedores de oito grupos persistem nos projetos e estão convencidos a mudar a realidade do Centro Histórico. E se depender dos órgãos municipais presentes na mostra de ontem, todas as ideias nascidas no evento podem, de alguma forma, contribuir para resolver alguns problemas da região.

De julho para cá, os oito projetos remanescentes foram repensados e amadurecidos. Tal qual no dia do evento, as apresentações na Sefaz foram feitas no modelo pitch (mostra relâmpago). A diferença é que dessa vez as equipes tiveram cinco minutos, dois a mais do que no dia em que as ideias foram exibidas pela primeira vez na Faculdade de Medicina.

A mostra de ontem foi mediada pelo CEO da Rede+, Rodrigo Paolilo. Após cada pitch, os gestores tiraram dúvidas sobre detalhes das propostas. No fim das exibições e sem a presença dos maratonistas, eles elegeram  ideias que podem ser transformadas em ações pela prefeitura.

A titular da Diretoria de Gestão do Centro Histórico, Eliana Pedroso reconheceu a Viva Pelô, campeã do Hackthon+Salvador, como uma das ideias interessantes para ajudar na reocupação do Pelourinho. Ela, porém, sugeriu que os idealizadores possam, a partir de agora, pesquisar mais a realidade do bairro. 

"Eu entendo que alguns já amadureceram e concentraram as ideias que surgiramna vivência. Eles precisam agora se conectar com a realidade para que os projetos possam se tornar mais factíveis e aplicáveis. É importante se emaranhar pelo bairro para entender os problemas", pontuou.

Grupos apresentaram projetos no auditório da Sefaz, no Centro de Salvador

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

A Fundação Gregório do Matos (FMG) gostou da proposta da equipe Onde é que tá?, a segunda colocada na maratona, e chegou a convidar o time para desenvolver um projeto parecido, lançado no mês passado pelo órgão, que consiste nos visitantes e moradores de Salvador usarem o celular ou tablet para fazer a leitura de QR Codes,  com informações turisticas e históricas, instalados em monumentos  da cidade.

Já a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) viu na proposta do projeto Localmob a oportunidade de solucionar algumas questões de mobilidade. O aplicativo viabiliza roteiros temáticos dentro do Centro Histórico para pessoas com mobilidade reduzida, como cadeirantes e idosos.

O gerente de Marketing do CORREIO, Fábio Góes elogiou a forma com as equipes conseguiram aproveitar a oportunidade de criar soluções criativas. "Essas pessoas que nunca se viram continuam desenvolvendo, fazendo novas pesquisas e apresentando os projetos. O papel do CORREIO, no sentido de promover essa conexão, de fato, parece que está surtindo efeito".

Recursos próprios

A experiência de reunir pessoas desconhecidas e uni-las para que pudessem pensar juntas soluções criativas e inovadoras, um dos focos do Hackathon+Salvador, deu certo. E  uma prova é que os integrantes da equipe Meu Pelô trataram de marcar encontros presenciais e online para pensar em formas de viabilizar o negócio.

Mesmo ficando com a quinta colocação no ranking final da maratona de inovação e programação,  a turma não desanimou e, de julho para cá, avançou com seu projeto, inclusive pagando do próprio bolso as primeiras melhorias na ideia original.  

O protótipo inicial foi transformado em um site de roteiros turisticos customizados. O investimento de hospedagem e designer veio da equipe. Depois do evento, empresários e desenvolvedores procuraram os integrantes interessados no negócio.  

"Nós trabalhamos em cima de algo que consideramos importante, uma gestão de negócio, de renda. Estamos acreditando que essa ideia possa continuar", comenta Carlos Sales, 44 anos, um dos membros da Meu Pelô.

O Hackathon+Salvador foi realizado pelo CORREIO e pela aceleradora de startups Rede+, com apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador e os apoios da Rede Bahia, Faculdade de Medicina da UFBA, IHAC Lab-l, Sebrae, Loygus, Life Finanças Pessoais, SuperGeeks, Tours Bahia, Pizza Hut, Monterrey, Revita, Trio, do arquiteto Ed Vasco e do personal trainer Renato Figueiredo. O evento abriu a programação deste ano do Fórum Agenda Bahia.

Veja vídeo com os melhores momentos do Hackathon+Salvador