Comprova

Homem que afirma ser petista e corrupto não é líder do MST e sim ex-candidato do PRTB

Registro é uma sátira e a pessoa vista nas imagens é o empresário Valdecir Hanauer, que concorreu ao cargo de deputado federal nas eleições de 2022 pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB)

  • Foto do(a) author(a) Projeto Comprova
  • Projeto Comprova

Publicado em 7 de abril de 2024 às 16:10

Enganoso: Posts enganam ao afirmar que um homem que aparece em vídeo à beira de piscina afirmando ser petista e corrupto seja o líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), João Pedro Stedile. Na verdade, o registro é uma sátira e a pessoa vista nas imagens é o empresário Valdecir Hanauer, que concorreu ao cargo de deputado federal nas eleições de 2022 pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) de Mato Grosso do Sul, mas não se elegeu.

Conteúdo investigado: Em vídeo, homem alega ser “petista” e diz estar usufruindo de dinheiro proveniente de corrupção. Ele aparece na beira de uma piscina, com bebidas alcoólicas à sua frente. O vídeo é encontrado nas redes sociais repostado com a legenda “O nome dele é João Pedro Stedile. Líder Nacional do MST, olha ele bêbado o que fala…”

Homem que afirma ser petista e corrupto não é líder do MST e sim ex-candidato do PRTB
Homem que afirma ser petista e corrupto não é líder do MST e sim ex-candidato do PRTB Crédito: Projeto Comprova

Onde foi publicado: X.

Conclusão do Comprova: Não é João Pedro Stedile, líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), o homem que aparece em um vídeo à beira da piscina afirmando ser petista e corrupto. Na verdade, a pessoa vista nas imagens é o empresário e ex-candidato a deputado federal pelo PRTB em Mato Grosso do Sul, Valdecir Hanauer.

O vídeo original foi publicado no perfil do empresário no TikTok em 16 de março de 2024, segundo ele, em tom de sátira. Nas redes sociais, Valdecir Hanauer se apresenta como “patriota” e apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). O registro foi amplamente repostado no X com a legenda “O nome dele é João Pedro Stedile. Líder Nacional do MST, olha ele bêbado o que fala…”

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos com maior alcance nas redes sociais. No TikTok, até o dia 27 de março, a publicação original contava com 97,8 mil visualizações. No X, antigo Twitter, havia dezenas de posts iguais afirmando que o homem nas imagens era o líder do MST, uma indicação de uma ação orquestrada.

Como verificamos: Primeiramente, buscamos no TikTok pelo nome da conta que aparece na marca d’água presente nas imagens, @valdecirhanauer, e encontramos a postagem original. Em seguida procuramos saber se o conteúdo tinha sido verificado por outras agências de checagem e buscamos informações sobre Valdecir Hanauer e João Pedro Stedile. Para finalizar, tentamos entrar em contato com a autora de uma das publicações enganosas e com o autor da publicação original.

Autor diz que vídeo original é sátira

Circula nas redes sociais um vídeo em que o empresário Valdecir Hanauer chama os apoiadores do Partido dos Trabalhadores (PT) de “burros”, “incapacitados” e “trouxas”. A publicação foi repostada por dezenas de contas acompanhada de legenda que identifica erroneamente Hanauer como João Pedro Stedile, causando confusão quanto à identidade do homem presente nas imagens. Hanauer, atualmente filiado ao Democracia Cristã, concorreu como candidato a deputado federal pelo PRTB, em 2022, representando o estado do Mato Grosso do Sul, mas não foi eleito.

O vídeo original foi publicado no dia 16 de março de 2024 na conta pessoal do empresário no TikTok. Na filmagem, ele se apresenta como um “petista ladrão” e corrupto, com a intenção de ridicularizar os eleitores. “Como você é tolo, como é ingênuo, paga impostos e vota em mim. Sou do PT e estou planejando como te roubar”, diz Hanauer em um momento da gravação.

“Eu sou ladrão e te convenci a você [sic] patrocinar para mim essa vida aqui na piscina. Continue assim, eleitor burro, idiota, eu sou um corrupto, ladrão, que te convença a votar em mim através do Supremo Tribunal Federal [STF]”, finaliza o empresário no vídeo.

O Comprova não conseguiu entrar em contato com Valdecir Hanauer. Ao Estadão, o empresário afirmou que o vídeo foi gravado em tom satírico: “Eu só faço uma sátira, de um sistema político ladrão, como tem em qualquer país. As pessoas é que capitalizam em cima. Eu deixo rolar, não devo nada”.

Quem é João Pedro Stedile

Stedile nasceu em Lagoa Vermelha, Rio Grande do Sul, em 1953. Ele é descendente de trabalhadores rurais vindos de Trento, na Itália, e ainda jovem, se tornou seminarista e ganhou uma bolsa de estudos na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), onde se formou em Economia.

Mais tarde, já distante da Igreja, concluiu sua pós-graduação pela Universidade Nacional Autônoma do México. Em 1979, passou a assessorar a Comissão Pastoral da Terra (CPT), onde se aproximou da questão agrária no país e os conflitos por terra que o catapultaram para a criação do MST.

Já em 1984, João Pedro Stedile e amigos fundaram o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), em 1984.

O que diz o responsável pela publicação: O Comprova tentou entrar em contato com Valdecir Hanauer e com a dona de uma das contas que repostou o vídeo, mas até o momento não obteve resposta.

O que podemos aprender com esta verificação: Vídeos em tom de ironia ou satíricos são um modo de criticar uma pessoa ou, no caso, um partido político. Ao se deparar com conteúdos que pareçam suspeitos, humorísticos, escrachados ou fora de contexto, procure verificar o posicionamento político do autor do conteúdo. Nesse caso, a identificação do homem que está no vídeo era facilmente verificada pela marca d’água presente na publicação.

Por que investigamos: O Comprova monitora conteúdos suspeitos publicados em redes sociais e aplicativos de mensagem sobre políticas públicas e eleições no âmbito federal e abre investigações para aquelas publicações que obtiveram maior alcance e engajamento. Você também pode sugerir verificações pelo WhatsApp +55 11 97045-4984.

Outras checagens sobre o tema: O conteúdo também foi verificado por Estadão Verifica e Aos Fatos. O Comprova também investigou outros conteúdos enganosos envolvendo, por exemplo, o ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino, além de uma montagem que mostra o presidente Lula ao lado de Domingos Brazão, um dos suspeitos de ser o mandante da morte da vereadora Marielle Franco e de um vídeo que insinua falsamente que Magno Malta estava bêbado em ato pró-Bolsonaro.